GADO PASSA FOME NO BRASIL

A mídia e o governo afirmam que a safra do Brasil está bombando : mais de 200 milhões de toneladas de grãos por ano…..!

Hoje em dia, o farelo de soja é usado na ração para o gado leiteiro, gado de corte, suínos, galinhas, frangos, etc.

Mas, apesar da propalada produção de soja, o seu farelo – produto resultante do esmagamento dos grãos para obtenção do óleo – não está sendo encontrado no mercado. Por quê ?

No Brasil, quase toda produção do setor de grãos do “agronegócio”  é comprada por 05 (cinco) grandes empresas  : Cargill, ADM, Dreyfuss, Bunge e Amaggi . Todas elas visam a exportação de grãos,  por ser muito mais rentável exportar , do que vender no mercado interno.

Mas, os grandes compradores brasileiros de grãos dessas 05 (cinco) empresas, também tem como objetivo final a exportação : JBS e Brazil Foods (Sadia+Perdigão), entre outras.

Dos grandes o governo sabe tudo !

Os grandes são organizados, a fiscalização informa os ministérios,  o IBGE recolhe as informações que correm na Esplanada dos Ministérios em Brasília, e divulga os dados colhidos nessas searas dos ministros.   O Palácio do Planalto exulta com as notícias do IBGE, e a mídia mais ainda…..

Mas, e os “pequenos agros ‘, como ficam ?

Os “pequenos agros”  vendem seus produtos para  :  os CEASAS, os supermercados, as cooperativas, os cerealistas, os açougueiros, os marchantes, os abatedouros, etc.

Aí, o governo não sabe de nada e não divulga nada!

O IBGE não tem dados sobre a comercialização dessa safra , o preço praticado por “pequenos agros” e o quê acontece com esse enorme contingente de comerciantes !

Nos USA o produtor rural sabe de antemão, antes de plantar, o quanto ele vai ganhar por hectare,  plantando aquela determinada cultura. Faz seguro contra intempéries, garantindo assim,  o ganho mínimo pela plantação. Lá, não há risco de perder dinheiro com o “agronegócio”.

Isso , sem contar com o maquinário que eles  tem à disposição  para trabalhar nas lides do campo. Tudo computadorizado,  dando produtividade 5 X maior que a produtividade do  brasileiro.

Aqui, o “agronegócio” é uma verdadeira roleta russa tanto para os pequenos , como para os grandes fazendeiros ! É um eterno “tudo depende de”, “se Deus quiser”, “dessa vez, vai”, “eu acho que”, etc, …..

No Brasil não há : previsão do tempo correta, não há armazenagem, não há estradas para escoamento da safra, não há rede elétrica, não há internet, não há preço mínimo correto que pague os custos , não há seguro contra intempéries que realmente funcione,  não há dinheiro para o financiamento da safra  porque ele foi desviado para campanha eleitoral do PT, não há mão de obra competente, não adianta ter maquinário computadorizado que não tem operador e nem quem saiba fazer manutenção, etc,.

Isso sem falar na carga tributária, nos encargos trabalhistas,  etc,…

Em suma  os preços dos nossos produtos “agro” são determinados pela Bolsa de Chicago, onde a realidade americana é completamente diferente da nossa. Mas , os custos são típicos brasileiros…..

E aí , fica a pergunta :

No Brasil,  o agronegócio é um bom negócio ?

José Alckmin

Be the first to comment

Leave a Reply