AS 6 DO DIA 23/11

1-  O índice Bovespa subiu na quinta-feira, apesar de operar apático ao longo do pregão, com giro financeiro reduzido pela metade devido ao feriado nos Estados Unidos. Para analistas, o mercado deve continuar em compasso de espera até segunda-feira, de olho no exterior e na transição de governo. Ontem foram confirmados Rubem Novaes para presidir o Banco do Brasil e de Pedro Guimarães no comando da Caixa Econômica. Os dois são especialistas em privatizações e têm experiência em instituições bancárias.

2-  Após uma série de adiamentos e embates entre os parlamentares, o projeto de lei Escola Sem Partido deve ser votado na comissão especial criada na Câmara dos Deputados na próxima quinta-feira (29). O parecer do relator, deputado Flavinho (PSC-SP), foi lido pela primeira vez na comissão especial na tarde desta quinta (22). A leitura do parecer era o último passo antes de o projeto estar apto para votação.

3-  Três bancos centrais estão em foco no momento, porque eles têm posições hawish que estão em risco. O BCE, o Fed e o BOC. O mercado acha que qualquer um deles poderia mudar a qualquer momento. É uma corrida de cavalos. O COB está em primeiro lugar com a reunião em 5 de dezembro, mas eles podem querer esperar pelo Fed antes de enviar qualquer tipo de sinal. Eles também têm um pouco de ajuda do governo federal agora. Além disso, os dados resistiram. Eles não vão caminhar, mas eles não vão sinalizar uma pausa também. O mercado agora está cobrando 77% em janeiro, o que me parece alto. A reunião do BCE é 14 de dezembro, mas Draghi e alguns outros altos funcionários falam antes. Hoje, a confiança do consumidor caiu para o menor nível desde março de 2017, e a Visco, do BCE, reconhece o problema. As questões são que o BCE tem uma merecida reputação de esperar até o último minuto para tomar uma decisão e ainda ter tempo para apostar. A reunião do Fed é 19 de dezembro, mas na próxima semana ouvimos de Powell, que está programado para falar sobre a economia. Espero que uma caminhada seja um acordo feito, mas um sinal de uma pausa depois resolveria muitos problemas porque enfraqueceria o dólar. Com o petróleo muito mais baixo, você também tem muito menos pressão sobre a inflação, então essa é a justificativa.

4-  O Brasil, tradicionalmente o maior produtor de açúcar do mundo, está prestes a perder a coroa para a Índia pela primeira vez em 16 anos. A produção do país asiático nesta safra poderá subir 5,2 por cento, para um recorde de 35,9 milhões de toneladas, devido ao aumento da área plantada e à melhora da produtividade, informou o Serviço de Agricultura Estrangeira do Departamento de Agricultura dos EUA (Usda, na sigla em inglês). A produção brasileira pode cair 21 por cento, para 30,6 milhões de toneladas, devido ao clima adverso e à opção por uma maior produção de etanol à base de cana.

5-  Futuro ministro da Economia no governo de Jair Bolsonaro, o economista Paulo Guedes afirmou nesta terça-feira, 6, que “está fora de questão” renegociar a dívida brasileira e que a futura equipe vai trabalhar para fazer reformas e vender ativos para reduzir o endividamento do país.

6-  O presidente eleito, Jair Bolsonaro, anunciou na noite desta quinta-feira, 22, pelas redes sociais que o professor colombiano Ricardo Vélez Rodríguez será o futuro ministro da Educação. Crítico ao Enem e com afinidade ao Escola sem Partido, hoje ele é professor-colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da UFJF. “Gostaria de comunicar a todos a indicação de Ricardo Vélez Rodríguez, filósofo autor de mais de 30 obras, atualmente Professor Emérito da Escola de Comando e estado Maior do Exército, para o cargo de Ministro da Educação”, escreve Bolsonaro no Twitter.

 

Bons Negócios  !!                                  Yochanan Pinchas 

 

Be the first to comment

Leave a Reply