AS QUENTES DO DIA 23/11

1-  O Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina está processando as lojas Havan e seu proprietário, Luciano Hang, em, pelo menos, R$ 25 milhões por dano moral coletivo por intimidar seus empregados a votarem em Jair Bolsonaro na eleição presidencial. Além disso, o MPT também pede que paguem R$ 5 mil a cada um dos cerca de 15 mil empregados como dano moral individual, o que elevaria o montante em R$ 75 milhões, totalizando um valor em torno de R$ 100 milhões. De acordo com a ação civil pública, o proprietário promoveu campanhas políticas em prol do candidato com o envolvimento obrigatório de empregados em ”atos cívicos”. Ele teria feito ameaças explícitas de fechar as lojas e dispensar os empregados, caso o adversário de seu candidato ganhasse a eleição. Além disso, os trabalhadores teriam sido constrangidos a responder, em mais de uma ocasião, enquetes internas promovidas pela Havan em seus terminais de computadores, informando em quem votariam – num momento em que já era conhecida a preferência do dono da empresa.

2-  O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, recomendou ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), as indicações de Rubem Novaes para presidir o Banco do Brasil e de Pedro Guimarães para comandar a Caixa Econômica Federal, informou em nota a assessoria de imprensa do futuro ministro nesta quinta-feira (22). A nota também diz que o economista Carlos vonDoellinger foi indicado e aceitou o convite para presidir o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada).

3-  Se a Theresa May conseguir que o acordo de divórcio Brexit ultrapasse a cimeira dos líderes da UE na próxima semana, o próximo grande obstáculo é o parlamento. Na melhor das hipóteses, ela vai ganhar alguns votos de sobra, mas é mais provável que ela fracasse. Uma ideia é um cenário do TARP, algo que Eamonn destacou no início da semana. Essa é uma referência ao programa de resgate aos bancos dos EUA. Ele foi inicialmente rejeitado pelo Congresso apenas para ser revivido depois que os mercados caíram. Um cenário semelhante foi lançado em maio, ou talvez por Amber Rudd. No entanto, houve dois problemas: 1) Há um risco de que a votação não seja próxima e que seja derrotada, o que tornaria o re-voto politicamente desafiador, se não impossível. 2) A ideia saiu. O segundo tipo de joga no primeiro. Porque se todos sabem que o primeiro voto é uma farsa, então os mercados não serão tankados. Mais políticos também vão usá-lo para registrar um voto de protesto com um plano para mudá-lo pela segunda vez. Então os chicotes de May perceberam que os riscos estão altos e agora estão tentando convencer todo mundo de que é um voto do-or-die. O problema é que o gênio está fora da garrafa e ninguém sabe em quem acreditar.

4-  Dados do Ministério do Planejamento encaminhados à equipe de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), mostram que oito estatais acumularam prejuízo de R$ 38,7 bilhões entre 2013 e 2017. Entre as empresas públicas deficitárias estão Telebras, Infraero, Hemobras, Eletrobras, Correios e Companhias Docas do Rio de Janeiro, do Ceará e do Rio Grande do Norte. Eletrobras e Infraero são responsáveis pela maior parte do rombo, relata o repórter Antonio Temóteo.

5-  Acontece hoje a megaliquidação Black Friday. Especialistas recomendam que, para aproveitar o evento, é bom acompanhar como estavam os preços antes da data. Conheça alguns sites que mostram um histórico de preço dos produtos nos últimos meses.

6-  O governador eleito de Roraima, Antonio Denarium (PSL), disse em entrevista a Talita Marchao e Wellington Ramalhoso que pretende adotar um programa para “devolver” venezuelanos ao país vizinho. “O problema dos venezuelanos em Roraima não é só do estado, é um problema do Brasil”, afirmou.

 

Bons Negócios  !!                                          Yochanan Pinchas 

Be the first to comment

Leave a Reply