CAMBIO 27/11

O dólar americano subiu na terça-feira depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que iria avançar com as tarifas sobre os produtos chineses, alimentando a preocupação com a guerra comercial sino-americana e o aumento da demanda pelo dólar. Separadamente, Trump disse ao Wall Street Journal que espera avançar com o aumento das tarifas de US $ 200 bilhões em importações chinesas para 25%, ante 10% atualmente. A ameaça de um crescente conflito comercial entre as duas maiores economias do mundo é uma grande fonte de preocupação para o próximo ano, em meio a expectativas de que a economia mundial possa desacelerar.

No Brasil o dólar dispara e mostra o lado ruim de ter uma Selic baixa .
A incerteza com o novo governo e o desconforto do investidor estrangeiro com os juros baixos no Brasil agitaram o mercado de câmbio na segunda-feira. O dólar futuro fechou em alta de 2,89% ante o real e tocou seu maior patamar desde 4 de outubro. A de ontem foi a alta mais intensa desde 18 de maio de 2017 e levou o Banco Central a anunciar dois leilões de linha de até US$2 bilhões hoje. Por um lado, houve um aumento na demanda por hedge por parte de alguns fundos, para fixar a taxa referencial Ptax mais elevada no mês – sexta feira é a base para aferição de resultados. Por outro, as projeções para inflação e taxa de juros para 2019 sugerem que a taxa básica de juros Selic deve permanecer na mínima por bem mais do que todo mundo esperava. Para Sandro Sobral, do Santander, o movimento de segunda-feira mostra que “o câmbio não gosta de uma Selic baixa”.

EUR/USD                                         1,13215

GBP/USD                                         1,27593

USD/BRL                                        3,93245

USD/ILS                                         3,72000

 

Bons Negócios  !!                                 Yochanan Pinchas 

 

Be the first to comment

Leave a Reply