AS 6 DO DIA 28/11

1-  O Ibovespa teve a maior alta em duas semanas na terça-feira, impulsionado pela Petrobras. Os papéis da estatal dispararam com a proximidade de acordo para votação do projeto da cessão onerosa no Senado; segundo o Estado de S.Paulo, após acordo entre parlamentares, a votação pode acontecer amanhã. O setor elétrico, por sua vez, liderou ganhos, com rumores sobre o destino do atual diretor presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira. Segundo fontes, estaria entre os cotados para assumir o Ministério de Minas e Energia; mais tarde, o presidente Jair Bolsonaro indicou que uma definição para o comando da pasta não estaria próxima, mas isso não arrefeceu a alta do setor. A queda do dólar também impactou positivamente as empresas com custos atrelados à moeda americana, como Gol e CVC. O bom-humor não contagiou a Vale, que caía refletindo o segundo dia de forte queda nos futuros do minério de ferro na China.

2-  O Tribunal Regional Federal da 4ª Região retoma hoje em Porto Alegre o julgamento que pode dar ao ex-ministro Antonio Palocci redução da pena e o direito de ficar em prisão domiciliar depois de assinar um acordo de delação premiada na Operação Lava Jato. Palocci está preso preventivamente desde setembro de 2016. Também estão na pauta da 8ª Turma do tribunal, que atua como segunda instância dos casos da Lava Jato julgados no Paraná, recursos do ex-ministro José Dirceu (PT), do ex-deputado federal Cândido Vaccarezza (Avante), de Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, de Renato Duque, ex-diretor da Petrobras, e de Pedro Augusto Cortes Xavier Bastos, ex-gerente da estatal, relata o repórter Bernardo Barbosa.

3-  A América Latina será nos próximos dias palco da disputa entre China e Estados Unidos. Bolsonaro recebe amanhã no Rio John Bolton, assessor de Segurança Nacional de Donald Trump. Nos próximos dias, chegam a Buenos Aires o próprio Trump e XiJinping, presidente chinês, que participam da cúpula das 20 principais economias do mundo, o G20. A disputa de Washington x Pequim, aliás, deverá ser um dos principais temas da reunião.

4-  Trump analisou o Brexit, alertando que o acordo negociado pelo primeiro-ministro Theresa May poderia dificultar o comércio do país com os Estados Unidos.
Os comentários ajudaram a empurrar a libra 0,7% a menos em relação ao dólar na terça-feira. O destino do acordo pode ser decidido em 11 de dezembro, quando maio tentará empurrá-lo pelo parlamento. O Reino Unido expressou anteriormente o desejo de negociar um acordo de livre comércio com os Estados Unidos.

5-  O presidente Donald Trump ameaçou cortar os veículos elétricos e outros subsídios que beneficiaram a General Motors Co., aumentando as tensões com a montadora de Detroit um dia depois de divulgar os planos para fechar várias fábricas dos EUA no ano que vem. Os comentários do presidente atingiram a forte posição da GM no mercado de carros elétricos nos EUA, onde, juntamente com a Tesla Inc., a gigante automobilística se beneficiou de incentivos fiscais implementados durante o governo Obama para estimular as vendas de veículos movidos a bateria. A GM fez lobby junto aos legisladores federais para estender o crédito de imposto de renda de US $ 7.500 que tornou os veículos elétricos mais acessíveis para os compradores.”Muito desapontado com a General Motors e seu CEO, Mary Barra”, twittou Trump. “Agora estamos olhando para cortar todos os subsídios @GM, inclusive para carros elétricos.”

6-  Facebook (FB) enfrenta um possível confronto com legisladores em Londres. Representantes de nove países se reuniram para uma audiência internacional sobre desinformação. Há uma chance de que os legisladores do Reino Unido usem o evento para revelar documentos internos que o Facebook está tentando manter longe do público.

 

Bons Negócios  !!                                                     Yochanan Pinchas 

Be the first to comment

Leave a Reply