AS QUENTES DO DIA 28/11

1-  Hoje teremos os dados do PIB americano do terceiro trimestre, que podem trazer volatilidade. Fique de olho nos anúncios de Bolsonaro e sua equipe em relação à formação do novo ministério, assim como a negociação para a votação da cessão onerosa na quarta-feira. Tanto esse projeto quanto o plano de ajuste fiscal do novo governo estão sendo observados com lupa mundo afora. Ao contrário do investidor local, o estrangeiro não está querendo dar o benefício da dúvida a Bolsonaro & Cia em um contexto internacional mais desafiador.

2-  “Estamos muito, muito próximos de um acordo. Estive com o ministro da Fazenda (Eduardo Guardia) e com o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. Jantamos juntos inclusive. Estou esperando um retorno para confirmar se aceitam minha proposta. Aceitando, votamos a cessão onerosa sem alterações no Senado”
Presidente do Senado, Eunício Oliveira, sobre acordo para cessão onerosa.

3-  Com um rombo de R$ 139 bilhões nas contas públicas estimado para 2019, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, terão de lidar com as pressões de servidores por reajustes salariais e mais benefícios. O primeiro deles é justamente o aumento salarial previsto para o ano que vem. Também estão em estudo outras mudanças nas regras do funcionalismo, entre elas o fim da estabilidade no emprego e da progressão automática. Algumas medidas foram propostas, mas não saíram do papel, e chegam agora às mãos do futuro governo. A folha de pessoal é a segunda maior despesa do Orçamento, depois dos benefícios previdenciários, e o item dos gastos obrigatórios onde há margem de manobra para cortes.

4-  O governo federal cortou R$ 2 bilhões de verba para o saneamento básico. O Ministério das Cidades reduziu de R$ 6 bilhões para R$ 4 bilhões a verba do FGTS disponível para projetos de saneamento básico neste ano, revela reportagem da Folha de S.Paulo.

5-  O presidente Donald Trump parece estar fechando a porta para um cessar-fogo na guerra comercial com a China poucos dias antes de uma cúpula crucial.
Trump disse ao Wall Street Journal que é “altamente improvável” aceitar uma oferta do presidente chinês, Xi Jinping, com o objetivo de evitar tarifas mais altas em mais de US $ 200 bilhões em mercadorias chinesas em janeiro.
Ele também advertiu que colocaria mais uma rodada de tarifas sobre produtos chineses se os dois líderes não conseguirem acabar com a disputa quando se encontrarem no final desta semana em Buenos Aires, Argentina, à margem da cúpula do G20.
“Se não fizermos um acordo, vou colocar os US $ 267 bilhões adicionais”, disse Trump na entrevista, acrescentando que o nível tarifário poderia ser de 10% ou 25%.
Trump disse que as tarifas podem atingir os produtos da Apple importados da China, incluindo os iPhones. As ações da Apple (AAPL), que já caíram 25% desde o início de outubro, caíram em termos prolongados.

6-  Uma intensa luta pelo controle da Campbell Soup (CPB) acabou.
Durante meses, o fundo de hedge Third Point, do investidor ativista Daniel Loeb, vem tentando reformular o conselho da companhia de sopa e instalar seus próprios diretores.
Na segunda-feira, os dois lados concordaram em encerrar a briga por procuração e expandir o conselho da Campbell de 12 para 14 membros. Dois dos cinco indicados sugeridos pelo Terceiro Ponto serão adicionados ao quadro.

 

Bons Negócios  !!                                     Yochanan Pinchas 

Be the first to comment

Leave a Reply