AS QUENTES DO DIA 05/12(COM VÍDEO NO AVIÃO)

1-  O gatilho para a piora do mercado, ontem, foi a fala do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que, se um acordo comercial com a China for possível, ele será feito, mas que se ambos os lados não resolverem a disputa, ele recorrerá a tarifas. Com o investidor temendo que a trégua alcançada entre os países não seja duradora, o Dow Jones Industrials caiu mais de 700 pontos. Nesse cenário, o Ibovespa despencou 1,33%, perdendo o patamar dos 89 mil pontos, puxado por ações de commodities, bancos e indústrias. A votação do projeto da cessão onerosa, que era destaque do dia, será adiada novamente, segundo o líder do governo no Senado, Romero Jucá, frustrando novamente as expectativas do mercado. O mau humor também ofuscou as notícias positivas da apresentação da Vale a investidores; a ação da mineradora caiu, apesar da previsão de aumento dos preços do minério ano que vem. “Nosso representante de comércio determinará se um real acordo é possível. Se for, o faremos. Mas se não for, lembrem-se, eu sou um homem-tarifa.”
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Twitter, falando sobre a disputa comercial com a China. Perdeu a chance de ficar calado , veja que confusão!!

2-  O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse que é forte a tendência de a reforma da Previdência ser fatiada (aprovada em diferentes fases). A ideia, segundo ele, é “aumentar a idade mínima [para a aposentadoria] em dois anos para todo mundo”, mantendo a diferença de idade entre homens e mulheres. Bolsonaro também disse que estuda mudanças na reforma trabalhista. Para ele, a atual legislação está dificultando empregar no Brasil

3-  O Tribunal Superior Eleitoral aprovou com ressalvas as contas de campanha da chapa de Bolsonaro e de seu vice, o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB). A decisão foi por unanimidade na noite de ontem. A chapa de Bolsonaro arrecadou mais de R$ 4,3 milhões e declarou gastos de R$ 2,4 milhões, segundo dados do TSE. Para os analistas que avaliaram as contas, houve “impropriedades e irregularidades que, no conjunto, não comprometeram a regularidade”.

4-  A futura ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), quer a criação de uma secretaria especial vinculada à Presidência da República para cuidar dos direitos indígenas. Bolsonaro tirou a Funai (Fundação Nacional do Índio) do Ministério da Justiça, mas o destino do órgão permanece incerto.

5-  Os mercados financeiros dos EUA são fechados em homenagem ao ex-presidente George H.W. Funeral de Bush. A Bolsa de Nova York e a Nasdaq serão fechadas em comemoração a um dia nacional de luto pelo 41º presidente dos EUA, que faleceu na sexta-feira aos 94 anos. A última vez que o mercado fechou para marcar a morte de um presidente foi em 2 de janeiro de 2007, após a morte do presidente Gerald Ford. Os mercados de títulos também serão fechados. Enquanto isso, o CME Group (NASDAQ: CME) (NASDAQ: interromperá a negociação de produtos de taxa de juros e futuros e opções para o dia, embora negociação eletrônica e negociação de futuros de energia e metais tenham uma sessão regular, inclusive para petróleo e ouro . Outros mercados globais operarão em um cronograma normal. Os mercados de câmbio também estão operando normalmente, embora os volumes sejam mais leves que o normal.

6-  O advogado Cristiano Caiado de Acioli, de 39 anos, foi encaminhado à Superintendência da Polícia Federal em Brasília após ter dito ao ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), sentir vergonha do STF, durante um voo de São Paulo para Brasília. Segundo a assessoria da PF, Acioli está sendo ouvido por um delegado e ainda se encontra retido, embora não haja acusação formal contra ele. No vídeo que circula em redes sociais, o advogado, sentado na primeira fila do avião, chama por Lewandowski, que mexia no celular na mesma fileira, e diz: “Ministro Lewandowski, o Supremo é uma vergonha, viu? Eu tenho vergonha de ser brasileiro quando vejo vocês”. Incomodado, o ministro pergunta ao passageiro: “vem cá, você quer ser preso?”. Em seguida, Lewandowski manda chamar a Polícia Federal. O advogado retruca: “Eu não posso me expressar? Chama a Polícia Federal, então”. O advogado foi super educado , outros já o teriam xingado pelo que é : Safado sem vergonha !!

Bons Negócios  !!

Be the first to comment

Leave a Reply