AS 6 DO DIA 06/12

1-  Os termos e a realização do leilão do excedente da cessão onerosa devem ser aprovados em reunião do Conselho Nacional de Política Energética, marcada para 17 de dezembro – o mesmo dia que o vencimento de opções em ações deste mês – em mais um sinal de que o processo independe da aprovação formal do Congresso. Já o Senado tenta forçar o governo a fazer uma manobra vista até o momento como potencialmente ilegal: transferir parte dos recursos de eventual leilão de sobras para estados e municípios. Por outro lado, os investidores avaliaram o plano de negócios da Petrobras como relativamente bom: mesmo com a queda na curva de produção, as perspectivas para vendas de ativos e geração de caixa operacional foram boas, assim como para o pagamento de dividendos agressivo da estatal. As ações da estatal, que hoje subiram, devem continuar refém da cessão e dos vaivéns do petróleo, que amanhã pode reagir à reunião da Opep em Viena. Cortes de produção podem ser combinados, dando mais um ponto de suporte ao preço da commodity.

2-   O índice Bovespa fechou em alta de 0,47% na quarta-feira em que as bolsas de Nova Iorque estiveram fechadas em razão do luto pela morte do ex-presidente George Bush pai. O investidor continua tendo máxima cautela com as declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro, que, como na célebre música de Tom Zé, parece “estar te confundindo para te esclarecer” em relação à urgência da reforma da Previdência e do ajuste fiscal. Ontem ele disse que teria quatro anos para passá-la; hoje, ele jurou que a passaria “em 1º de fevereiro”, se pudesse. O mercado teme que a estratégia de Bolsonaro em relação à Previdência, se existe alguma, emperre quando encarar um Congresso hostil a pautas impopulares. A ponta longa da curva de juros refletiu isso o dia inteiro, assim como o dólar futuro – ambos subiram em consonância com a demanda por maior prêmio de risco. “Se fosse possível votaria logo no dia 1º de fevereiro. Nós temos que respeitar logicamente o calendário, a tramitação de proposições, e gostaríamos e pretendemos aprovar porque não é uma proposta minha, é do Brasil.”
Presidente eleito, Jair Bolsonaro, falando sobre a Previdência em coletiva em  Brasília

3-  Meng Wanzhou, diretora financeira da empresa de smartphones Huawei e filha de seu fundador, foi preso no Canadá no sábado, após um pedido de extradição dos EUA. Sua prisão está relacionada a uma investigação sobre se ela violou ou não as sanções contra o Irã. A China criticou os EUA e o Canadá pela prisão e exigiu sua libertação imediata. A notícia da prisão, ocorrida menos de uma semana depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, e seu homólogo chinês, Xi Jinping, concordaram com uma trégua comercial de 90 dias, ameaçou reacender o conflito comercial entre as duas maiores economias do mundo. O sentimento do mercado foi inicialmente impulsionado pelo cessar-fogo do comércio, mas o ânimo rapidamente azedou no ceticismo de que os dois lados possam chegar a um acordo substancial dentro do prazo de 90 dias.

4-  Os futuros de ações dos EUA apontaram para uma queda acentuadamente menor em Wall Street, com os futuros da Dow caindo mais de 450 pontos, já que as preocupações sobre as relações EUA-Sino e uma possível desaceleração econômica americana pesaram. As preocupações com a desaceleração econômica nos EUA atingiram os mercados nesta semana depois que uma inversão em uma parte da curva de rendimentos do Tesouro americano desencadeou preocupações sobre a fraqueza econômica dos EUA. Uma curva mais plana é vista como um indicador de uma economia em desaceleração.

5-  Os preços do petróleo caíram após relatos de que o ministro da Energia da Arábia Saudita propôs um corte na produção menor do que o esperado na próxima reunião da OPEP. Os futuros do petróleo Brent caíram US $ 2,40, ou cerca de 3,91%, para US $ 59,15 por barril, enquanto os futuros do petróleo bruto WTI ficaram em US $ 50,88 por barril, queda de US $ 2,03, ou cerca de 3,89%. Os ministros de Petróleo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), a Rússia e outros grandes países produtores se reunirão em Viena na quinta e sexta-feira para revisar seu atual acordo de produção, com uma decisão na sexta-feira. Funcionários da Opep vêm fazendo declarações públicas cada vez mais freqüentes de que o cartel e seus parceiros começarão a reter o petróleo bruto em 2019 para aumentar a oferta e sustentar os preços. De acordo com relatórios recentes, a Opep e seus aliados estão trabalhando para um acordo para reduzir a produção de petróleo em pelo menos 1,3 milhão de barris por dia (bpd). Além da Opep, novos dados semanais sobre os estoques comerciais de petróleo dos EUA também chamarão a atenção do mercado. A Administração de Informações sobre Energia dos EUA divulgará seu relatório semanal oficial de suprimentos de petróleo para a semana encerrada em 30 de novembro às 11:00 ET (16:00 GMT). Ele sai um dia depois do habitual por causa do dia de luto nacional de quarta-feira.

6-  O ministro da CGU (Controladoria Geral da União), Wagner Rosário, que continuará no cargo na gestão de Jair Bolsonaro (PSL), defende que políticos só tenham foro privilegiado em casos relacionados a corrupção. Acusações de homicídio, brigas de trânsito e outras questões sem ligação com prejuízos ao patrimônio público deveriam ser julgadas em primeira instância mesmo que tivessem acontecido durante o mandato. O Foro tem que ser completamente abolido , pois não temos uma justiça confiável e nossos juízes estão corrompidos 

 

Bons Negócios  !!                                     Yochanan Pinchas 

 

Be the first to comment

Leave a Reply