AS 6 DO DIA 04/01

1- Declarações no fim do pregão do novo ministro de Minas e Energia mudaram completamente a fotografia do Índice Bovespa nesta quinta-feira. Bento Albuquerque disse que a Petrobras é credora na questão da cessão onerosa, promovendo um alta de 2,45% nas ações da estatal. Com isso, o Ibovespa, que chegou a apurar queda preliminar no fim do pregão, encerrou o dia em alta de 0,61%, aos 91.564 pontos, nova máxima histórica de fechamento. O volume passou de R$ 17,2 bilhões, sendo o maior desde outubro de 2018. Assim, a Bolsa brasileira descolou do pessimismo no cenário internacional. O alerta da Apple prevendo receitas trimestrais menores que o esperado trouxe as preocupações quanto à desaceleração global de volta à tona, abatendo os índices em Wall Street. A gigante de tecnologia culpou a fraqueza chinesa pela má notícia e, simultaneamente, as ações da Vale se destacaram na ponta negativa do índice Bovespa. A ação ON da Vale caiu 4,09%, também em reflexo de vendas massivas de participações de alguns acionistas relevantes, conforme nossa equipe.

2- Entre os fundamentos internos, com o foco nos desdobramentos da articulação de Bolsonaro rumo às reformas, e a dinâmica externa, notadamente a saúde das economias americana e chinesa, a expectativa é de volatilidade nos mercados à frente. Na perspectiva do Credit Suisse para 2019, o impacto dos estímulos fiscais da gestão Donald Trump na economia dos Estados Unidos está diminuindo e não há ninguém neste momento para assumir as rédeas da atividade mundial. Neste contexto, os dados do mercado de trabalho dos EUA referentes a dezembro e os discursos de membros votantes do Fed, agendados para sexta-feira, devem chamar a atenção dos investidores em todo o mundo.

3- Hackers publicaram dados pessoais de centenas de políticos alemães de grandes partidos, incluindo detalhes de cartões de crédito e telefones celulares, informou a ARD TV nesta sexta-feira. Os dados, publicados em uma conta no Twitter, também incluíam endereços, cartas pessoais e cópias de carteiras de identidade, disse a emissora pública, citando a afiliada RBB. Todas as principais partes alemãs, exceto a AfD de extrema direita, são afetadas. A identidade dos hackers e seus motivos não eram conhecidos, segundo o relatório. A Reuters não conseguiu confirmar imediatamente o relatório.

4- O presidente Jair Bolsonaro disse que quer aproveitar a reforma da Previdência que já está em tramitação na Câmara dos Deputados e fixar a idade mínima de aposentadoria em 62 anos para homem e 57 anos para mulher. “Não queremos fazer maldade com o povo na reforma da Previdência. A idade mínima de 65 anos fica um pouco pesada para algumas profissões”, disse o pesselista ao telejornal SBT Brasil na noite desta quinta-feira (3). Ainda na entrevista, a primeira do presidente após a posse, Bolsonaro disse que não pretende recriar a CPMF, que a definição de um imposto único é um plano para o longo prazo e que ele e o ministro da Justiça, Sergio Moro, estão trabalhando em um decreto para mudar as regras para a posse de armas – ou seja, o direito de ter uma arma em casa. Saiba quais outros assuntos foram abordados.

5- Diante da permanência de Wilson Ferreira Jr. no cargo de CEO (Chief Executive Officer) da Eletrobras (SA:ELET3), o Itaú BBA divulgou em relatório recomendação para as ações, mantendo o desempenho market perform (em linha com o mercado) e listando preço-alvo de R$ 28,00 para os papeis ordinários e de R$ 35,00 para as ações preferenciais. De acordo com a equipe de análise, o executivo está “bem adaptado para retomar a discussão sobre a capitalização da empresa”. No entanto, o próximo passo fundamental será “definir se a capitalização manterá ou não a estrutura estabelecida na última proposta apresentada ao Congresso Nacional”. Caso a capitalização ocorra em toda sua capacidade, o valor da empresa pode saltar de R$ 35 bilhões para a casa dos R$ 100 bilhões, de acordo com o Itaú BBA.

6- O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de São Paulo terminou dezembro com alta de 0,09 por cento, acumulando em 2018 avanço de 3,02 por cento, com destaque para o avanço dos preços de Saúde, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Em 2017, o IPC-Fipe acumulou alta de 2,27 por cento. Em 2018, os preços de Saúde foram os que mais subiram, 6,61 por cento, seguidos pela alta acumulada de 5,08 por cento de Alimentação. Já a leitura de dezembro mostrou que Alimentação teve alta de 0,84 por cento no mês, enquanto os preços de Transportes sofreram recuo de 0,77 por cento. O IPC-Fipe mede as variações quadrissemanais dos preços às famílias paulistanas com renda mensal entre 1 e 10 salários mínimos.

Bons Negócios !!______________________-Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply