AS QUENTES DO DIA 10/01

1- China e EUA: As negociações que duraram três dias “foram muito bem; bom para nós”, segundo o subsecretário americano de Agricultura e Comércio Exterior. Sob menor tensão com a disputa tarifária entre as duas potências, ações mais líquidas do índice Bovespa se destacaram. Vale subiu mais de 2% e Suzano, 6%. Na visão de um trader de um banco internacional, tanto mineração, siderurgia e celulose quanto outras produtoras de commodities devem se beneficiar de um acordo EUA-China. Para completar o dia favorável, a alta de 5% nos preços do petróleo após a Arábia Saudita reiterar o corte em sua produção também favoreceu as ações de Petrobras, que encerraram com ganhos de 2%.

2- “$OIBR3: Acho que papel está extremamente descontado, apesar de todos os seus problemas. Me posicionei antes da porrada para baixo, e agora dobrei posição. Empresa detém uma parcela muito importante da fibra ótica do País – acima de 25% de share -, e tem começado a entregar produtos surpreendentemente bons (dada a sua fama) e com valores bem agressivos. Paguei para ver se esse Mico ainda sobe galho.”
Pedro Severo (@pedrors)

3- E no fim da quarta-feira, o governo Bolsonaro registrou sua primeira baixa: o chefe de órgão de comércio exterior, Alex Carreiro, pediu para sair. O motivo não foi esclarecido. Apesar deste e de outros fatos negativos que ocorreram desde a cerimônia de posse, o governo de Jair Bolsonaro (PSL) completa hoje dez dias sem a sombra de uma oposição visível e articulada.

4- O chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, estará no centro das atenções na quinta-feira, com os investidores aguardando suas últimas declarações de que reafirmará que a política do banco central está suspensa enquanto avalia a desaceleração do crescimento global e a recente volatilidade nos mercados financeiros. Powell falará em um evento no Clube Econômico de Washington, DC O almoço e o programa estão programados para começar às 12:00 PM ET (17:00 GMT), enquanto Powell está agendado para uma discussão conjunta com os ex-chefes do Fed, Janet Yellen. e Ben Bernanke às 12:45 ET (17:45 GMT). A última aparição de Powell fez as ações dispararem, ao notar que o Fed poderia ser “paciente” com mais restrições à política. Atualmente, os preços dos mercados são de que o banco central estará em pausa por todo o ano de 2019 e terá uma chance de 14% de reduzir as taxas de juros até o final do ano. Na quarta-feira, presidentes de quatro dos 12 bancos regionais do Fed disseram que queriam maior clareza sobre o estado da economia antes de estender mais a campanha de aumento de taxa do banco central. O presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, considerado o formulador de políticas mais dovish, até sugeriu que um novo aperto poderia levar a economia dos EUA à recessão. Powell não será o único membro do Fed na reunião de quinta-feira, já que os chefes dos Bancos Federais de Richmond, St. Louis, Chicago e Minneapolis e o vice-presidente Richard Clarida terão comparecimentos agendados.

Bons Negócios !!___________________ Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply