AS QUENTES DO DIA 11/01

1- O índice Bovespa acabou embarcando na onda externa e voltou a subir – pela terceira sessão consecutiva –, renovando sua máxima histórica de fechamento a 93.805 pontos. Mesmo sem contar com o apoio de Petrobras e Vale, que fecharam em baixa, o Ibovespa terminou no azul liderado por Ambev e, em termos percentuais, Cielo e Via Varejo – que subiu 10%, com compras de fundos apostando na valorização do papel. A perspectiva para o mercado é de alta: estrategistas do Santander estimam que o índice pode encerrar 2019 em 115.000 pontos. Eles acreditam que o novo governo conseguirá aprovar uma parte relevante do ajuste fiscal em um ambiente de taxa básica de juro, Selic, prosseguindo no menor patamar histórico ao longo do ano.

2- Dez dias seguidos de alta (se não me falha a memória). Saímos praticamente dos 85.000 até quase 95.000 em poucos dias. Uma hora os investidores realizam. Muita gente nova operando, novos investidores, muita euforia. Mercado não é assim.”
Marcelo de Carlis (@mdecarlis)

3- O deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou, em entrevista à noite ao SBT, não saber o que seu ex-assessor fazia da porta do gabinete para fora. Mais cedo, o filho de Bolsonaro voltou a dizer, em nota, que não é investigado e que, antes de depor, quer ter acesso aos autos do processo para “tomar ciência dos fatos”.

4- O presidente Donald Trump visitou na quinta-feira a fronteira do Texas com o México para enfatizar o que ele insiste que é a “necessidade” de construir um muro ao longo da fronteira entre as duas nações em meio a uma paralisação parcial do governo federal, agora no seu vigésimo dia. Desde 22 de dezembro, Trump tem insistido em que cerca de US $ 5,7 bilhões em financiamento sejam incluídos na lei do orçamento federal para construir parte de seu tão criticado muro de fronteira, uma proposta que foi rejeitada pelos congressistas democratas que controlam a Câmara. Representantes. Diante desse impasse, o presidente sugeriu que poderia declarar uma emergência nacional com o objetivo de realocar o financiamento militar para construir o muro, uma ameaça que ele repetiu hoje na fronteira. “Eu tenho o direito absoluto de declarar uma emergência nacional”, disse Trump a repórteres em declarações na cidade de McAllen, no Texas. “Os advogados me aconselharam. Eu não estou preparado para fazer isso ainda, mas se for preciso, eu vou. ”

Bons Negócios !!___________________ Yochanan Pinchas

 

Be the first to comment

Leave a Reply