AS QUENTES DO DIA 14/01

1- Pesquisa do Datafolha divulgada hoje na Folha de S.Paulo diz que 84% dos brasileiros apoiam a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. O debate sobre o tema tende a ganhar força neste ano, já que esta era uma das promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

2- A reforma da previdência está no destaque da pauta do Congresso deste primeiro semestre, mas ainda não tem texto pronto. No entanto, informações sobre mudança na idade mínima para pedir a aposentadoria, alteração no modelo de contribuições e uma regra de transição mais curta já começaram a circular. Além disso, uma análise do INSS mostra que a proposta de idade mínima afetará estados mais ricos. Veja o que se sabe até agora.

3- A libra esterlina recuou de uma alta de sete semanas na segunda-feira, quando os investidores se preparam para uma votação no acordo do primeiro-ministro britânico, Theresa May, sobre o Brexit, que o parlamento deve votar. Sterling está seguindo o exemplo do Brexit, mas o futuro caminho da saída da Grã-Bretanha da União Européia é profundamente incerto. Os resultados possíveis incluem um acordo de última hora, uma saída desordenada, um novo referendo ou permanecendo no bloco. Cada um poderia ter consequências radicalmente diferentes para as perspectivas da moeda.

4-As exportações da China caíram inesperadamente em dois anos em dezembro, enquanto as importações também se contraíram, apontando para uma fraqueza ainda maior na segunda maior economia do mundo em 2019 e na deterioração da demanda global. Somando-se às preocupações dos formuladores de políticas, dados divulgados na segunda-feira também mostraram que a China registrou seu maior superávit comercial com os Estados Unidos em 2018, o que poderia levar o presidente Donald Trump a acertar o calor em Pequim. O enfraquecimento da demanda na China está sendo sentido em todo o mundo, com a desaceleração das vendas de produtos, de iPhones a automóveis, provocando alertas de empresas como a Apple e a Jaguar Land Rover, que na semana passada anunciaram cortes de empregos. As tristes leituras comerciais de dezembro sugerem que a economia da China pode ter esfriado mais rápido do que o esperado no final do ano, apesar de uma série de medidas que impulsionaram o crescimento nos últimos meses, desde gastos com infraestrutura mais altos até cortes de impostos. Alguns analistas já especularam que Pequim poderá ter que acelerar e intensificar suas medidas de flexibilização e estímulo de políticas este ano, depois que a atividade fabril encolheu em dezembro.

5- A Delta Air Lines (DAL) e a United Continental Holdings (UAL) reportarão seus ganhos na terça-feira.
 Na última quinta-feira, a American Airlines (AAL) alertou os investidores de que o final do ano passado não era tão bom quanto o esperado. Uma semana antes, a Delta cortou sua orientação sobre a receita de tarifa do quarto trimestre.
 Preços mais baixos do que o esperado ajudaram a impulsionar os lucros das companhias aéreas, mas isso não foi suficiente para satisfazer os investidores que estão preocupados com a desaceleração da economia global.

Bons Negócios !!___________________ Yochanan Pinchas 

Be the first to comment

Leave a Reply