AS 6 DO DIA 01/02

1- O Ibovespa superou os 98 mil pontos durante a sessãonova máxima histórica intradiária, mas a alta perdeu fôlego na reta final do pregão. Assim, o índice Bovespa não bateu seu décimo segundo recorde de fechamento em 2019 e fechou em valorização de 0,41% a 97.393 pontos, encerrando janeiro com ganhos de 10,82%. O otimismo com a troca de governo tingido pela vocação liberal da nova equipe econômica, com discurso em prol de reformas estruturantes, como a da Previdência, terá nesta sexta-feira seu primeiro grande teste: a eleição dos novos presidentes da Câmara e do Senado Federal. O caminho é longo até a aprovação da proposta de mudança nas regras de aposentadorias, cuja versão final ainda é desconhecida. Por ora, a expectativa é que seja apresentado um texto duro, abarcando militares. E, ao longo dos próximos dias, a movimentação política do pleito tende a sinalizar como e se a reforma virá a ser desidratada no Congresso.

2- O primeiro mês do ano também marcou o retorno de entrada líquida positiva de recursos estrangeiros, ainda que timidamente, após o fluxo negativo de R$11,4 bilhões em 2018. O saldo segue positivo em R$1,06 bilhão ao menos até o dia 29 de janeiro, de acordo com os últimos dados disponíveis. A combinação de reformas e retomada do crescimento torna o Brasil uma alternativa interessante ao investidor externo depois de o País sofrer a pior recessão em pelo menos oito décadas, entre 2014 e 2017. Mas o dinheiro pesado ainda não veio, comentam gestores, com o gringo ainda em stand by antes do discurso do governo virar ação. Em adição, a cena externa traz incertezas, com sinais de desaceleração global e falta de clareza sobre o desenrolar da disputa tarifária entre Estados Unidos e China. Amanhã teremos mais um ingrediente valioso nesse cardápio: o dado de geração de empregos nos EUA em janeiro.

3- Após reunião com procuradores na PGR (Procuradoria-Geral da República), em Brasília, o presidente da mineradora Vale, Fábio Schvartsman, afirmou que a empresa quer acelerar a realização de acordos extrajudiciais para a reparação de danos e indenização às vítimas do rompimento da barragem em Brumadinho (MG). “O valor dos acordos é o valor que tiver que ser, não existe um valor definido, vai ser aquilo que for necessário. Quando for definido a extensão das vítimas o valor será decorrente disso”, afirmou Schvartsman. Quinta-feira marcou o último dia de trabalho da missão israelense em MG. A equipe ajudou os bombeiros brasileiros a encontrar 35 corpos. Até o momento, foram identificados 57 dos 99 corpos resgatados. Entre eles está Andrea Ferreira Lima, a advogada de 40 anos trabalhava para uma empresa terceirizada na parte da Vale.

4- A Vale já sabia que um eventual rompimento de barragem em Brumadinho (MG) destruiria as áreas industriais da mina de Córrego do Feijão, incluindo o restaurante e a sede da unidade, onde estavam parte dos mortos e desaparecidos. A informação, publicada na edição da Folha de S.Paulo de hoje, consta no plano de emergência da barragem, de 18 de abril de 2018. Procurada desde segunda-feira (28), a mineradora se recusou a encaminhar o documento, obtido pela Folha junto a um dos órgãos oficiais encarregados de recebê-lo. Além disso, a Vale reduziu em 44% os investimentos em ações de segurança e saúde nas suas operações entre 2015 e 2016, justamente no ano seguinte ao rompimento da barragem de Mariana (MG). Essa revelação foi feita em reportagem do UOL também de hoje — e nenhum dos questionamentos enviado à empresa foi respondido.

5- Bolsas Pela Europa e Asia continuam o Rali e Wall Street aponta para ligeira alta, na abertura, em Wall Street . Mas como sexta feira é dia de colocar uns trocados no bolso (Realização de Lucros) nunca se sabe .

6- A fabricante americana de veículos elétricos Tesla (NASDAQ: TSLA) anunciou nesta sexta-feira que vai começar a receber pedidos na China por uma versão mais barata do modelo 3, que busca acelerar as vendas da China atingidas por atritos comerciais entre Washington e Pequim. A empresa com sede na Califórnia disse em um comunicado que os clientes chineses poderão fazer pedidos para uma variante do modelo 3 de longo alcance e tração traseira cujo preço começará em 433 mil yuans (US $ 64.300,56). Anteriormente, o preço inicial de um modelo 3 na China era de 499.000 yuan, para uma versão de longo alcance com tração nas quatro rodas. A Tesla disse no início deste ano que planeja começar a entregar carros Modelo 3 a clientes na China em março. A Tesla, que está construindo uma fábrica para produzir veículos Modelo 3 em Xangai, está procurando minimizar o impacto de uma guerra comercial que até agora forçou a ajustar os preços de seus carros fabricados nos EUA na China. Manter os preços sob controle também ajudará a Tesla a afastar a concorrência de uma série de startups de veículos elétricos domésticos, como Nio Inc, Byton e XPeng Motors.

Bons Negócios !!_________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply