AS 6 DO DIA 06/02

1- A Bovespa repetiu o script dos últimos dias. O ímpeto comprador do investidor ganhou força na reta final dos negócios e puxou o Ibovespa. Mas a queda das ações de Itaú e Vale, detentoras de grande peso na composição do índice, evitou novo recorde da bolsa. No fim do dia, o Ibovespa fechou em baixa de 0,28% a 98.311 pontos, com volume financeiro superior a R$13 bilhões. Do discurso para o papel até a aprovação pelo Congresso, a reforma da Previdência exercerá influência relevante nos preços dos ativos brasileiros ao longo de 2019. O pregão desta terça-feira é um bom exemplo. Depois das declarações do vice-presidente Hamilton Mourão e do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante a manhã, que evidenciaram ruídos dentro do governo entre uma versão mais light e uma mais hard da reforma, o mercado viu razões para dar uma pausa no rali. Mas, ao longo da tarde, palavras do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do ministro da Economia, Paulo Guedes, restabeleceram o apetite por risco. Maia se mostrou otimista com o pleito, dizendo que o governo pode ter 350 deputados na base e que a votação na Casa pode ocorrer até maio. Já Guedes falou que o governo deve economizar R$1 trilhão em dez anos com a mudança nas regras de aposentadorias.

2- A reforma da Previdência é crucial para aliviar o déficit público do País em prol de uma trajetória mais equilibrada das contas públicas. Com esse alicerce, analistas projetam um longo ciclo de valorização da bolsa, a exemplo daquele visto de 2003 a 2008. Mas será necessário combinar com a Câmara e o Senado Federal que, mesmo renovados e com aliados em suas presidências, também congregam interesses contrários à reforma, prenunciando uma negociação que promete volatilidade nos mercados. “Existe um trade-off entre o rigor da proposta e a velocidade de aprovação”, ponderam os analistas do UBS. Um operador de câmbio ressalvou ao TC News que a proposta dos sonhos do mercado pode dificultar o processo de aprovação nas Casas. Mesmo assim, o investidor estrangeiro começou fevereiro com o pé direito na B3, com ingresso líquido de R$589 milhões no primeiro dia do mês, elevando o saldo no ano para R$2,1 bilhões.

3- As novas regras para a aposentadoria podem gerar uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos, e a reforma da Previdência pode ser votada pela Câmara em maio. As afirmações foram feitas, respectivamente, pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na tarde desta terça-feira (5). “Podemos economizar R$ 1 trilhão em 10 anos ou em 15. Vai depender da versão final que o presidente assinará e enviará ao Congresso. O que queremos é trabalhar para que o texto chegue e seja votado, como disse Maia. Esse cálculo político é importante”, afirmou Guedes. Segundo presidente da Câmara, a reforma cumprirá rito e passará por comissões antes do plenário. Maia disse que no momento o Governo não tem os 308 votos necessários para aprovar a reforma. Segundo o vice-presidente Hamilton Mourão, Guedes e o presidente Jair Bolsonaro ainda divergem sobre idade mínima para aposentadoria igual entre homens e mulheres. “O Guedes, na visão dele, é todo mundo igual. Não é isso que se busca hoje? A igualdade? Mas o presidente não concorda. O decisor é ele. Ele que foi eleito. Nós aqui somos atores coadjuvantes”, disse.

4-

Trump em seu discurso no Congresso:
A China tem como alvo indústrias dos EUA, propriedade intelectual roubada há anos
diz que o roubo de empregos e riqueza americanos chegou ao fim
novo acordo comercial com a China deve incluir o fim de práticas comerciais desleais, reduzir nosso déficit comercial crônico e proteger os empregos americanos Mnuchin e Lighthizer estão indo para a China para novas negociações comerciais na semana que vem. Duvido que eles cheguem perto da lista de compras de pedidos.

5- O Ministério Público da Suíça enviou ao Brasil dados bancários resultantes da investigação de um esquema de propinas envolvendo a PDVSA e operadores da Venezuela. Os registros detalham a rota do dinheiro chavista e chamam a atenção em razão do volume: 3.000 páginas de extratos bancários e transferências. Fontes próximas ao caso confirmaram que os dados foram inicialmente recolhidos a pedido de procuradores federais no Rio Grande do Sul, responsáveis por iniciar as investigações sobre os desvios chavistas de até 80 milhões de reais. Em Porto Alegre, o Ministério Público Federal iniciou o inquérito sobre um esquema fraudulento que usava exportações de máquinas agrícolas brasileiras para lavar dinheiro. Parte dos recursos terminava em contas secretas na Suíça e, de lá, para offshores em nome de autoridades chavistas.

6- As ações europeias estão um pouco mais baixas na quarta-feira, com os resultados fracos dos bancos, incluindo o BNP Paribas (PA: BNPP), e da montadora Daimler, que puseram fim à alta de seis dias do mercado. O combativo Estado da União do presidente dos EUA, Donald Trump, contribuiu para a tristeza nos mercados, uma vez que não revelou novas iniciativas de infra-estrutura e, em vez disso, levantou a possibilidade de outra paralisação, caso o financiamento para o Muro não estivesse disponível. A Daimler caiu 1,9%, depois que a montadora alemã informou que o lucro operacional do quarto trimestre caiu 22%, com as guerras comerciais e os crescentes custos de desenvolvimento de carros elétricos e autônomos atingindo os lucros dos carros da Mercedes-Benz. Na Asia as bolsas fecharam em alta e os futuros norte americanos apontam para uma abertura em queda em Wall Street .

Bons Negócios !!_____________________Yochanan Pinchas
 

Be the first to comment

Leave a Reply