CENTENAS EVACUADOS NO SUL DE MINAS COM PROBLEMAS EM OUTRA BARRAGEM DA VALE

As autoridades brasileiras evacuaram nesta sexta-feira centenas de pessoas no estado de Minas Gerais, devido ao risco de mais colapsos de barragens de rejeitos, como o que deixou pelo menos 157 mortos no mês passado.

A primeira evacuação de 500 pessoas foi realizada em diferentes bairros da cidade rural de Barão de Cocais, a cerca de 100 quilômetros da capital do estado.

A ação foi ordenada pelo regulador de mineração da ANM no Brasil depois que uma empresa de consultoria se recusou a corroborar a segurança da barragem de rejeitos Sul Superior na mina de minério de ferro Gongo Soco, de propriedade da gigante de mineração brasileira Vale.

A evacuação acontece duas semanas após o colapso de uma barragem de rejeitos em outra mina da Vale em Brumadinho, Minas Gerais, que provocou uma torrente de resíduos de mineração que envolveu escritórios, casas e carros da empresa.

O incidente de 25 de janeiro custou a vida de 157 pessoas e deixou outras 182 desaparecidas (e presumivelmente mortas).

A Vale disse que a decisão foi preventiva e o resultado de inspeções sendo realizadas nas barragens da região.

Acrescentou que instalará equipamentos na barragem de rejeitos do Sul Superior com a capacidade de detectar o menor movimento dentro da estrutura e que os “consultores internacionais” realizarão uma avaliação no domingo.

A barragem do Sul Superior, que como a estrutura desmoronada em Brumadinho é feita de rejeitos (minério de minério) e terra, é uma das 10 que a Vale disse que planeja eliminar.

Separadamente, cerca de 50 famílias que moram na cidade de Itatiaiucu, localizada a 80 quilômetros de Belo Horizonte, também foram retiradas de suas casas na manhã de sexta-feira e levadas para um hotel no interior de Minas Gerais.

Essa evacuação também foi desencadeada pelo risco do colapso de outra barragem de mina pertencente ao produtor de aço e à mineradora de minério de ferro ArcelorMittal.

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais afirmou que a situação está sob controle.

As autoridades brasileiras, enquanto isso, continuam seus esforços de busca e resgate em Brumadinho, embora a chance de encontrar sobreviventes seja considerada “mínima” e alguns corpos enterrados sob o mar de lama liberado pela represa nunca possam ser localizados.

A tragédia em Brumadinho ocorreu apenas três anos após o colapso de uma barragem de mineração semelhante na minerada co-propriedade da Vale e da gigante de mineração anglo-australiana BHP Billiton em Mariana, Minas Gerais, deixando 19 mortos e causando uma catástrofe ambiental sem precedentes.fonte:http://www.laht.com/article.asp?ArticleId=2474630&CategoryId=14090&utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+laht%2Fmailer+%28Latin+American+Herald+Tribune%29

Bons Negócios !!

Be the first to comment

Leave a Reply