AS 6 DO DIA 14/02

1- O mercado brasileiro reflete a cautela dos investidores enquanto monitoram o desenrolar da reforma da Previdência. Prevalece a aposta de que a proposta de mudança no sistema de aposentadorias vai passar no Congresso, amparada por pesquisas recentes e pelos aliados do governo nas presidências das duas Casas. No entanto, sobram ruídos sobre o tempo de tramitação do projeto e também sobre qual será o teor do texto final, se mais agressivo ou mais brando no ajuste fiscal. Há uma ameaça de racha dentro da equipe do Ministério da Economia, entre quem quer “a melhor forma possível” aos olhos do mercado, e uma outra ala a favor de uma proposta mais desidratada. Especula-se sobre discordâncias na questão de equiparar a idade mínima em 65 anos, ou estipular 62 para homens e 57 para mulheres, com regra de transição mais curta. “Entendo que a Previdência passa, mas resta saber qual irá passar”, resume Gabriel Rech, gestor e contribuidor Trades Club.

2- Até o presidente Jair Bolsonaro bater o martelo, e ele receberá a proposta para a reforma até sexta-feira, segundo o secretário especial de Previdência, Rogério Marinho, as incertezas devem se traduzir em volatilidade para os próximos dias, assim como nesta quarta-feira, cujos ruídos foram potencializados pelo vencimento de opções sobre o índice. No fim do dia, o Ibovespa fechou em queda de 0,34% a 95.842 pontos e o dólar futuro subiu 1,20% a R$3,758 na B3, em reflexo da busca por posições defensivas. As ações de Vale e Petrobras, detentores de grande peso no índice, encerraram o pregão com valorizações de 2,69% e 1,28%, respectivamente. Evitaram, assim, uma descida mais forte do índice Bovespa. No caso da mineradora, analistas calculam se o papel já busca um equilíbrio após o tombo decorrente da tragédia em Brumadinho, além de ter sido bem recebida a declaração do secretário de Privatizações Salim Mattar de que o governo quer “reprivatizar” a empresa. Já a estatal petrolífera avançou na esteira da alta do preço do petróleo e da expectativa pela venda da TAG.

3- A transferência de 22 membros da cúpula do PCC para presídio federais deixou policiais e agentes de segurança de São Paulo sob tensão. Eles temem que a facção emita um “salve geral”, como são chamadas as ordens de ataques contra prédios públicos e agentes de segurança, com a intenção de gerar terror e demonstrar insatisfação. O Governo Federal deslocará membros das Forças Armadas para reforçar a segurança dos presídios de Mossoró (RN) e Porto Velho, que receberão os presos. A operação deve seguir até 27 de fevereiro. O líder do PCC, Marcos Willians Herbas Camacho, conhecido como Marcola, vai para Porto Velho. Para o jurista Walter Maierovitch, a transferência deveria ter ocorrido muito antes. “Alckmin se acovardou”, disse, referindo-se ao ex-governador de São Paulo de 2011 a 2018 e antes, de 2001 a 2006. Marcola, por exemplo, esteve preso em presídios paulistas desde 1999. A opinião de Maierovitch é compartilhada pelo atual governador de São Paulo, João Dória. “São Paulo cumpriu o seu dever, cumpriu uma decisão judicial, que já poderia ter sido cumprido antes”, afirmou. A transferência é tida como o primeiro passo do plano de Sérgio Moro, ministro da Justiça, para combater as facções criminosas.

4- Intervenção militar gastou R$ 72 mi com operações do Exército no Rio
Luciana Quierati, do UOL
A intervenção militar no Rio de Janeiro custou R$ 72 milhões aos cofres públicos com operações do Exército, incluindo alimentação, combustível, material de consumo, manutenção de viaturas e deslocamentos. O valor não engloba a compra de equipamentos e gastos de outras forças de segurança que participaram das ações.

5- O Ministério da Saúde informou que as últimas 1.397 vagas do Programa Mais Médicos foram escolhidas por brasileiros formados no exterior antes das 9h de hoje (13). O prazo final para inscrição no site http://maismedicos.gov.br/ do programa se encerra amanhã (15), às 18h. Estavam disponíveis 8.517 vagas em todo o país desde a saída dos médicos cubanos do programa. O ministério divulgará, em 19 de fevereiro, a lista completa com a localidade onde cada profissional formado no exterior trabalhará. Os candidatos selecionados deverão se apresentar nas cidades escolhida para trabalhar até o dia 22 de fevereiro. Aqueles que não tiverem o Registro do Ministério da Saúde (RMS) realizarão um módulo de acolhimento, durante o qual assistirão aulas e serão avaliados pela coordenação nacional do programa. De acordo com o ministério, com a manifestação de interesse por médicos brasileiros formados no país ou no exterior, não será necessário convocar profissionais estrangeiros para preencher as 8.517 vagas abertas após o fim da cooperação com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) e a consequente saída do país dos médicos cubanos que atuavam no programa.

6- O otimismo sobre as negociações comerciais entre os EUA e a China, os fortes resultados da Nestlé, da AstraZeneca e da Airbus, ajudaram as ações européias a aumentar sua sequência de vitórias, atingindo a maior alta em três meses na quinta-feira. Na Asia os indices fecharam com ligeira queda(realização de lucros). Futuros Americanos apontal para uma abertura em alta em Wall Street.

Bons Negócios !!____________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply