AS 6 DO DIA 01/03(COM VÍDEO)

1- A Bovespa acumulou baixa de 1,86% em fevereiro, descendo para a faixa dos 95 mil pontos, ao término de um mês que confirmou a volatilidade pelo início dos trabalhos no Congresso, coincidindo com recente piora do humor global. Por aqui, o mercado monitora o risco de desidratação da proposta do governo para a reforma da Previdência ao longo do rito processual, temendo a lentidão na tramitação, cujo início ficou para depois do Carnaval, e os ruídos sobre a articulação política que ainda não inspira total confiança. Lá fora, a incerteza sobre o desfecho da guerra tarifária entre Estados Unidos e China impõe uma interrogação nas perspectivas para a saúde da economia mundial diante de indicadores econômicos mais fracos. Em princípio, o cessar-fogo dessa disputa acabaria amanhã, mas por ora os EUA abandonaram o plano de sobretaxar produtos chineses com o fim da trégua, em razão do progresso nas negociações. Por ora. Sob tal cenário entre o melhor e o possível na reforma e no diálogo EUA-China, a expectativa é que os gestores prossigam em março adotando posições mais defensivas até maior clareza à frente.

2- O tombo do índice Bovespa nesta quinta-feira acompanhou o desânimo em Nova Iorque em contaminação pela aversão ao risco após o término abrupto da reunião entre o presidente Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong-Un, sem um acordo sobre a desnuclearização da península asiática. O receio dos desdobramentos disso inclusive nas relações entre EUA e China dividiu as atenções com os dados do PIB dos EUA, que cresceu 2,6% nos últimos quatro meses de 2018, acima do esperado de avanço de 2,2%. O S&P500 fechou em baixa de 0,28%. A tendência negativa ganhou contornos maiores no Ibovespa, que despencou 1,77%%, em meio às preocupações renovadas sobre o teor do ajuste das contas públicas a partir da reforma da Previdência. O presidente Jair Bolsonaro admitiu a jornalistas que pode reduzir a idade mínima de aposentadoria para mulheres. Para completar, blue chips – como são chamadas as ações mais líquidas do índice Bovespa – como Ambev e Petrobras engataram forte tendência negativa em um pregão marcado também pela reação ao fraco PIB brasileiro do ano passado, com crescimento de 1,1% ante 2017.

3- O presidente Jair Bolsonaro afirmou que está disposto a negociar alguns pontos da reforma da Previdência, entre eles baixar a idade mínima para aposentadoria das mulheres de 62 para 60 anos. É a primeira vez que o presidente fala na possibilidade de reduzir a idade mínima após entregar a proposta ao Congresso Nacional. Bolsonaro também afirmou que pode fazer concessões no BPC (Benefício de Prestação Continuada), que é pago para idosos e deficientes de baixa renda, e na porcentagem da pensão por morte, que poderia passar de 60% para 70%. “Eu acho que dá para cortar um pouco de gordura e chegar a um bom termo, o que não pode é continuar como está [o déficit na Previdência]”, disse. As declarações foram feitas durante um café da manhã com jornalistas : participaram Alexandre Garcia e representantes dos seguintes veículos: UOL, Globo, Record, RedeTV!, Band, Estado de S.Paulo, Correio Braziliense e Valor. Não foi permitido gravar o encontro.

4- O Canadá deve anunciar na sexta-feira que uma audiência de extradição contra um executivo da Huawei Technologies pode prosseguir, disseram especialistas legais, piorando as já congeladas relações com Pequim. A polícia prendeu Meng Wanzhou, diretor financeiro da gigante das telecomunicações, em Vancouver, em dezembro, a pedido de Washington. No final de janeiro, o Departamento de Justiça dos EUA acusou a Huawei e Meng de conspirar para violar as sanções dos EUA ao Irã. Pode levar anos até que ela seja enviada para os Estados Unidos, já que o sistema de justiça lento do Canadá permite que muitas decisões sejam apeladas. Meng, sob prisão domiciliar, deve comparecer em um tribunal de Vancouver em 6 de março para mostrar às autoridades que ela está aderindo aos termos do acordo de dezembro que permitiu que ela ficasse fora da prisão. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse à Reuters em dezembro que interviria se servisse aos interesses de segurança nacional ou ajudasse a fechar um acordo comercial com a China, o que levou Ottawa a enfatizar que o processo de extradição não deveria ser politizado. Na semana passada, Trump minimizou a ideia de deixar as acusações.

5- O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), e o governador João Doria (PSDB) assinaram nesta quarta-feira, 27, ofício para realizar estudos que darão as diretrizes de uma concessão administrativa das Marginais do Tietê e do Pinheiros e também do trecho urbano da Rodovia Raposo Tavares. A expectativa é que um possível chamamento público para a concessão seja publicado em 150 dias, com a realização da concessão no começo do ano que vem. A ideia é que uma empresa terceirizada faça a gestão e manutenção das vias e suas pontes e viadutos em troca de uma remuneração paga pelo poder público inferior aos cerca de R$ 40 milhões que a Prefeitura já gasta, ao ano, para executar o serviço.

6- O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta quinta-feira (28) os dados relacionados à atividade econômica do ano passado. O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil encerrou 2018 com um crescimento de 1,1% em relação a 2017, abaixo do consenso de 1,3%. Os bens e serviços produzidos no Brasil em 2018 totalizaram R$ 6,8 trilhões.

Bons Negócios !!____________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply