AS QUENTES DO DIA 07/03

1- “Achar que o governo está implodindo porque os jornalistas estão escandalizados é cair no ruído criado pela imprensa. Quem achou que o governo Trump estava implodindo perdeu um baita bull market…”
Pedro Augusto de Miranda Nunes (@pnunes)

2- O índice Bovespa encerrou o pregão mais curto – iniciado às 13h00 – em queda de 0,41% a 94.216 pontos, seguindo de perto os mercados internacionais. O índice S&P500 recuou 0,65% em sessão negativa também em praças financeiras importantes na Europa. O anúncio de nova rodada de estímulos econômicos por parte do governo chinês não conseguiu animar investidores, focados no desenrolar da disputa tarifária entre Pequim e Washington. Em tempos de incertezas a respeito da saúde da economia global – a OCDE reduziu a projeção para o crescimento global neste ano, de 3,5% para 3,3% –, os números abaixo do esperado da geração de vagas de emprego no setor privado dos EUA também incomodaram. O Livro Bege do Federal Reserve, espécie de sumário do panorama atual da atividade nos EUA, revelou que a paralisação parcial do governo e a desaceleração global pesaram sobre a economia americana neste início de ano. Neste contexto, o investidor ficará de olho amanhã na divulgação do PIB da Zona do Euro no quarto trimestre e nas perspectivas econômicas do Banco Central Europeu, que atualiza a política monetária da região na quinta-feira.

3- O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, é um dos estreantes brasileiros na lista de bilionários da revista “Forbes” em 2019. Com uma fortuna estimada em US$ 2,2 bilhões (R$ 8,3 bilhões), ele ficou na 1.057ª posição mundial. Entre os brasileiros, o empresário aparece na 21ª colocação, empatado com outros bilionários, como José Luis Cutrale (sucos Cutrale), José Moll Filho (Rede D’Or São Luiz) e Ermírio Pereira de Moraes (Grupo Votorantim). Luciano Hang sofreu um atentado semana passada mas passa bem.

4- O CEO da Anheuser-Busch InBev, Carlos Brito, disse em entrevista na sede da cervejaria, na Bélgica, que sua empresa não vai repetir o roteiro de crise da fabricante de alimentos Kraft Heinz. As duas empresas compartilham membros da diretoria e implementam o mesmo mantra de corte de custos defendido pela firma de private equity 3G Capital. E a dona da Budweiser já havia alarmado os acionistas quando reduziu seu dividendo, em outubro. Brito disse que, apesar de ser fiscalmente prudente, está disposto a investir no crescimento. Em seus resultados, a AB InBev adicionou ao panorama uma linha que sugere que a companhia está se distanciando da abordagem da Kraft Heinz em relação aos resultados. Em vez de simplesmente cortar as despesas gerais e elevar os preços para aumentar o lucro, a empresa planeja ampliar os gastos de marketing para tentar vender mais Cerveja.

5- Donald Trump atacou duramente os seus adversários democratas, os quais acusou do “maior abuso de poder da história” dos Estados Unidos, depois que foram lançadas investigações parlamentares que ameaçam obstaculizar os dois últimos anos do mandato do presidente americano. “Empreendem uma grande cruzada desesperada em busca de um crime, apesar de o verdadeiro crime ser que o que os democratas fazem”, denunciou Trump no Twitter, onde também se chamou de “PRESIDENTE ASSEDIADO”. Os democratas, que retomaram em janeiro a maioria na Câmara de Representantes, têm agora o controle de poderosas comissões e a faculdade de inciar investigações, uma possibilidade que parecem dispostos a aproveitar ao máximo.

6- O fabricante chinês de equipamentos de telecomunicações Huawei anunciou nesta quinta-feira que entrou com uma ação contra o governo dos Estados Unidos pela proibição de seus produtos no mercado americano em meio a acusações de espionagem contra a empresa. “Esta proibição não é apenas ilegal, mas também restringe a Huawei para participar de concorrência leal e, em última instância, prejudica os consumidores americanos”, afirmou o presidente rotativo de Huawei, Guo Ping, também denunciando que seus servidores foram “hackeados”, além do “roubo” dos e-mails por parte das autoridades dos EUA. Em entrevista coletiva realizada na cidade de Shenzhen, sede da companhia, Guo disse que o processo foi aberto em um tribunal do Texas para impugnar a Lei de Autorização de Defesa Nacional que proíbe às agências governamentais em adquirir produtos da Huawei.

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply