AS 6 DO DIA 14/03(COM VÍDEO INÉDITO DO MASSACRE)

“Simplicidade e disciplina andam de mãos dadas.” 
– Alexander Elder

1- A Justiça de Minas Gerais mandou prender novamente todos os funcionários da Vale e da auditora Tüv Süd que haviam sido soltos recentemente, informou em nota nesta quarta-feira o Tribunal de Justiça mineiro, em meio às investigações de autoridades sobre o rompimento da barragem de rejeitos da mineradora em Brumadinho (MG), no 25 de janeiro, que deixou ao menos 200 mortos e mais de 100 desaparecidos. Dos empregados que haviam sido presos e depois liberados, onze são da Vale e dois da Tüv Süd, empresa responsável pelo laudo de estabilidade da estrutura que entrou em colapso. Os 13 são investigados por envolvimento no desastre. No início de fevereiro, a 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu colocar em liberdade três funcionários da Vale e dois da auditora, ao afirmar que eles já prestaram declarações, já foram feitas buscas e apreensões e não foi apontado qualquer risco que eles pudessem oferecer à sociedade. Mas na decisão desta quarta-feira, a 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais negou, por unanimidade, habeas corpus impetrados em favor dos funcionários. “Com essa decisão, os 13 devem retornar à prisão para cumprimento da prisão temporária decretada pelo juiz da comarca de Brumadinho, Rodrigo Heleno Chaves”, disse o TJMG em nota.

2- Dois ex-alunos efetuaram disparos dentro de uma escola em Suzano (Grande São Paulo) matando ao menos sete pessoas no local na manhã de hoje. Antes, os assassinos mataram um comerciante na região. Os dois atiradores cometeram suicídio, totalizando em dez o número de mortos na ação. Os assassinos, Guilherme Taucci Monteiro, 17, e Luiz Henrique de Castro, 25, eram vizinhos. A mãe de Monteiro afirmou que o filho parou de estudar por causa do bullying que sofria na escola. Ele publicou várias fotos nas redes sociais portando uma arma momentos antes do crime. Os atiradores entraram no colégio pela porta da frente. Inicialmente, eles atiraram nas duas funcionárias que estavam na entrada. Em seguida, deram sequência aos tiros que atingiram os alunos. Monteiro e Castro usaram um revólver calibre 38 e uma arma medieval, semelhante a uma besta, no ataque. Também tinham com eles uma espécie de machado, que feriu um aluno. O estudante Lucas Thiago afirmou que os alunos chegaram a pensar que se tratava de um trote ao escutar os tiros.

3- O governo extinguiu cargos em comissão e funções de confianças, além de limitar a ocupação, a concessão ou a utilização de gratificações. A medida atinge 21 mil cargos, funções e gratificações em diversos níveis do Poder Executivo Federal. De acordo com a publicação, a economia anual com as extinções será de mais de R$ 194 milhões. Dos cargos em comissão e funções de confiança, 5.100 estão extintos a partir de hoje. Mais 12.408 serão extintos em 31 de julho. No caso das gratificações, 1.487 estão vedadas a partir de hoje, 2.001 não poderão ser concedidas a partir de 30 de abril e quatro a partir de 31 de julho. Aquelas pessoas que ocupam os cargos em comissão e as funções de confiança que deixam de existir ou os cargos que dependem das gratificações estão automaticamente exoneradas ou dispensadas, nas datas correspondentes.

4- Pelo Twitter, o presidente Jair Bolsonaro negou que tenha liberado verbas para os parlamentares em troca de apoio na aprovação da reforma da Previdência. Na última segunda-feira, 11, o líder no governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo, afirmou que o governo liberaria R$ 1 bilhão para emendas parlamentares. “Não há verbas sendo liberadas para aprovação da Nova Previdência como veículos de informação vem divulgando”, escreveu o presidente, acrescentando que seu governo seguiu o rito obrigatório de liberar anualmente as emendas. Junto ao tuíte, Bolsonaro anexou uma imagem com uma declaração própria: “vocês sabem que as pressões são enormes porque a velha política sempre parece que quer nos puxar para o que faziam antes. Nós não pretendemos fazer isso”.

5-

6- A justiça da Venezuela abriu uma investigação para apurar a responsabilidade do apagão que atinge a maior parte do país desde a última quinta-feira, 7. De acordo com o Procurador-geral da Venezuela, Tareq Saab, a investigação tem por objetivo verificar se o líder oposicionista e autoproclamado presidente, Juan Guaidó, tem alguma responsabilidade sobre o blecaute: “O Ministério Público iniciou uma nova investigação contra o cidadão Juan Gerardo Guaidó Márquez por seu suposto envolvimento na sabotagem realizada contra o Sistema Elétrico Nacional”, declarou Saab.

Bons Negócios !!___________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply