AS QUENTES DO DIA 14/03(COM VÍDEO DO ALEXANDRE GARCIA)

“Aguardando Raia Drogasil nos R$71 para abrir um short combinando gráfico (possível novo topo diário com resistência semanal) e fundamento (valuation caro).”
Johny Leite (@johnyleite94)

1- A Braskem anunciou nesta quarta-feira prejuízo líquido de 179 milhões de reais no quarto trimestre de 2018, após lucro de 313 milhões de reais um ano antes, em meio à queda na produção de suas unidades no México e nos Estados Unidos. A companhia, cuja dona Odebrecht negocia a venda de participação no negócio para a holandesa LyondellBasell teve resultado operacional medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) de 1,907 bilhão de reais entre outubro e dezembro, queda de 35 por cento no comparativo ano a ano. A receita líquida da companhia no trimestre foi de 14,84 bilhões de reais no trimestre, aumento de 17 por cento sobre o mesmo intervalo de um ano antes. Além de efeitos cambiais resultantes da apreciação do dólar frente ao real, o comparativo anual também teve impacto de efeitos não recorrentes. A Braskem reconheceu no trimestre uma receita extra de 520 milhões de reais referente aos débitos de PIS e Cofins pagos a maior.

2- O Supremo Tribunal Federal (STF) continua hoje, quinta-feira, o julgamento de um recurso que decidirá se de crimes corrupção e lavagem de dinheiro em casos relacionados a caixa dois de campanha eleitoral devem seguir para a Justiça Federal ou pela Justiça Eleitoral, com um sinal, a partir dos votos dados nesta quarta, de uma derrota futura para a operação Lava Jato. O placar até agora do julgamento está em 2 votos –o relator Marco Aurélio Mello e o ministro Alexandre de Moraes– a favor da remessa de todas as investigações, eleitorais ou criminais, para a Justiça Eleitoral, e 1 voto –o de Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF–, a favor de que a matéria exclusivamente de caixa dois siga para a Justiça Eleitoral, e os demais crimes para a Justiça Federal criminal. A Força Tarefa do MPF da Lava Jato de Curitiba –a maior investigação de corrupção no país que completa 5 anos neste domingo– tem alertado para o risco de que, se o Supremo entender que cabe à Justiça Eleitoral todos os crimes, pode haver um impacto direto em investigações como a da operação e até o risco de haver anulação de investigações e ações em curso ou já concluídas por sentença, por não mais caber à Justiça Comum, Estadual ou Federal, analisar esses casos.

3- O BTG Pactual (BPAC11), por meio do BTG Digital, irá lançar um fundo de ações passivo atrelado ao Ibovespa com uma taxa inferior aos dos ETFs que replicam o índice, disse Marcelo Flora, responsável pela plataforma ao Money Times. O produto, batizado de FIA BTG Pactual Ibovespa Indexado, terá uma taxa de administração de 0,15% ao ano, que está inferior ao ETF que persegue o Ibovespa da BlackRock (0,54%) e do Itaú (0,3%). “Percebemos que muitas pessoas ficam inseguras com o homebroker. Com este produto, o cliente não precisa abrir uma conta na corretora ou na B3. É muito mais fácil”, explica o executivo. A ideia de ofertar o produto veio após o sucesso do fundo “Tesouro Selic Simples” FI RF.

4- O Itaú BBA retirou as ações da Azul (AZUL4) do seu portfólio Top 5 e incluiu em seu lugar os papéis da JBS (JBSS3), mostra um relatório enviado a clientes nesta quarta-feira (13). Segundo o time de análise, a companhia aérea ainda tem sólidos fundamentos. No entanto, desde a sua inserção em outubro do ano passado, as ações apresentam alta de 41%. “Continuamos otimistas com a tese de Azul para o ano, mas optamos por realizar lucros e inserir JBS, que deve apresentar um bom resultado trimestral no curto prazo e que apresentou uma fraca performance nestes últimos 30 dias”, aponta o banco

5- O empresário Guilherme Jesus Paulus, presidente do Grupo CVC Turismo, procurou a Polícia Federal (PF) e fez delação premiada para relatar uma suposta propina paga pela companhia com o objetivo de burlar leis fiscais. As revelações levaram a PF e a Procuradoria da República a deflagrar a Operação Checkout, que apontou propina de 39 milhões de reais por parte do grupo para cancelar autuação de 161 milhões de reais da Receita Federal. A operação foi deflagrada na manhã desta terça-feira, 12, e Paulus procurou espontaneamente a PF e o Ministério Público Federal para fechar a colaboração premiada.

6- A bolsa renovou sua máxima histórica e reforçou no horizonte a marca iminente dos 100 mil pontos, coincidindo com o início da tramitação da reforma da Previdência no Congresso, a partir da instalação da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara nesta noite. Além do desenrolar da CCJ e de deliberações do Parlamento britânico, que rejeitou uma saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo, entrará no radar do mercado na quinta-feira indicadores chineses sobre produção industrial, vendas do varejo e taxa de desemprego – que também saem nesta noite. Novos ingredientes ao debate sobre a desaceleração da economia global. Não à toa, números fortes de pedidos de bens duráveis em janeiro nos Estados Unidos foram bem recebidos pelos investidores e contribuíram para o avanço das bolsas em Wall Street. Turbinado pelo salto das ações de Petrobras e Vale, o índice Bovespa pegou carona no ambiente externo e subiu 1,10% a 98.903 pontos, nova máxima histórica de fechamento, depois de chegar aos 99.267 pontos durante o pregão. Gestores disseram ao TC News que o fluxo comprador se encontra firme na bolsa em um contexto no qual os fundos de ações estão alocados, enquanto os multimercados e os estrangeiros se posicionam um pouco mais cautelosos.

7- Espera-se que a capacidade de energia solar em escala global aumente dois dígitos globalmente em 2019 e 2020, impulsionada por expansões nos Estados Unidos, Europa, Oriente Médio e China, disse o banco americano Goldman Sachs nesta quinta-feira. A energia solar é a fonte de geração de eletricidade que cresce mais rapidamente, recebendo participação de mercado de combustíveis fósseis, como carvão térmico e gás natural, à medida que governos e empresas introduzem cada vez mais alvos de energia limpa. “Esperamos que a combinação de custos mais baixos para o suporte solar e favorável a políticas proporcione uma pista de vários anos para a escala de serviços públicos para impulsionar uma vantagem significativa para o mercado”, disse o banco de investimento dos EUA em uma nota de pesquisa. O Goldman disse que espera que as instalações solares em escala global alcancem 108 gigawatts (GW) em 2019, 12% a mais que no ano anterior, e então crescerão outros 10% em 2020, para 119 GW. Para 2021 e 2022, o banco esperava capacidade para atingir 129 GW e 135 GW.

Bons Negócios !!____________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply