AS 6 DO DIA 08/05 (BOLSONARO DECRETA NOVA LEI DE ARMAS)

“A confiança em si mesmo é o primeiro segredo do sucesso.”
– Ralph Waldo Emerson

1- As vendas de diesel da Petrobras (SA:PETR4) aumentaram 19 por cento no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, para 698 mil barris por dia, enquanto as de gasolina caíram 3 por cento, para 385 mil barris por dia, de acordo com dados da estatal publicados nesta terça-feira com seu balanço. A Petrobras destacou maiores vendas de combustíveis no mercado interno, “principalmente diesel, devido à diminuição das vendas de terceiros em função das menores margens praticadas, além do crescimento da economia no período”. O avanço nas vendas de diesel, o combustível mais vendido no país, ocorre em momento em que importadores estão se queixando da política de preços da Petrobras, que estaria limitando compras no exterior pelos concorrentes da estatal. No caso da gasolina, o combustível vem sofrendo a concorrência do etanol, mais competitivo em várias partes do país. A empresa disse ainda que o aumento da produção de derivados de petróleo acompanhou o crescimento do mercado no período. Já a exportação líquida de petróleo reduziu devido ao aumento da importação de petróleo em função da menor produção e maior carga processada nas refinarias.

2- A Bovespa caiu pelo segundo pregão seguido, descendo aos 94 mil pontos após ter chegado aos 92 mil na mínima do dia. A confirmação de aumento de tarifas dos Estados Unidos sobre importações chinesas recolocou a guerra tarifária no radar dos investidores, trazendo um ingrediente de estresse do mercado global à cautela local pela tramitação da reforma da Previdência no Congresso. O primeiro dia de discussão da reforma na comissão especial da Câmara sugere que o relator, Samuel Moreira, quer um plano de trabalho acelerado, concluindo a fase de audiências públicas em 29 de maio, para discutir o texto em junho, porém sem uma data para colocar a matéria em votação, o que pode abrir espaço para interrupções e manobras da oposição e partidos que pretendem mexer na proposta. Os trabalhos prosseguem nesta quarta-feira, com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes. Em carta mensal, a gestora Verde Asset, do renomado Luis Stuhlberger, diz que prevê turbulência aos ativos brasileiros nos próximos dois meses por conta da discussão da reforma na comissão, porém em menor intensidade do que a observada em março e abril. “Há mais espaço para surpresas positivas” no mercado, segundo a gestora. Isso, é claro, vai depender também do cenário externo. Ao fim do dia, graças à sessão calma na comissão especial, o mercado brasileiro escapou das mínimas registradas ao longo do dia por influência de Nova Iorque. O índice Bovespa caiu 0,65% a 94.388 pontos.

3- Os mercados americanos, paparicados pelo presidente Donald Trump desde janeiro com o papo de que as tratativas comerciais com a China estavam indo muito bem, obrigado, ontem sentiram – de novo – o peso da complacência. O índice S&P500 despencou 1,65%, na pior queda em quase cinco meses, refletindo o temor de que a decisão de Trump de aumentar as sobretaxas nas importações chinesas pode abalar a economia do país asiático e, de quebra, a atividade global. O petróleo caiu, os mercados dos países emergentes mostraram um desempenho paupérrimo, o iene se fortaleceu e a volatilidade, medida pelo índice VIX, disparou. Em relação a esse último indicador, conhecido mundo afora como o “índice do medo”, a alta de 50% desde segunda-feira trouxe de volta métricas que os investidores tinham esquecido no armário desde novembro, a última vez que o mercado global teve um surto de pânico. Comportamentos similares do VIX em situações anteriores pressagiaram violentas quedas de mercado. O retorno da volatilidade está sendo estimulado pelo forte desmonte de posições vendidas a descoberto e de maior demanda por proteção. O investidor no Brasil precisa ficar de olho nesse movimento, pois a aversão ao risco tende a subir em todos os cantos do planeta.

4- O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que flexibiliza as regras para registro, posse, porte e comercialização de armas de fogo e munições a colecionadores, atiradores esportivos e caçadores. Essas três categorias costumam ser chamadas de CAC. Entenda o que muda: Fim da restrição da importação de armas: ao contrário de como acontecia até hoje, os CACs agora poderão importar uma arma mesmo quando houver produto similar disponível no Brasil.
Permissão para que os CACs possam transportar as armas já carregadas com munições. Até agora, os CACs podiam carregar o armamento somente no clube de tiro ou no local a ser utilizado.
Permissão para a compra de até 5 mil munições por ano por arma de uso permitido, e mil para cada arma de uso restrito, ao invés dos 50 cartuchos atuais.
Moradores rurais terão a posse de arma de fogo já existente ampliada da residência fixa para todo o perímetro de sua propriedade.
A declaração de efetiva necessidade para o uso de arma de fogo será tido como documento presumidamente verdadeiro e apto para concessão da posse.
O porte de arma agora será vinculado à pessoa, e não à arma.
O cidadão não precisará mais tirar um porte para cada arma em sua propriedade, bastando apresentar o porte junto com o Certificado de Registro de Arma de Fogo válido
O Certificado de Registro passará a ter validade de 10 anos, assim como todos os demais documentos relativos à posse e ao porte de arma.
Simplificação do processo para transferir a propriedade da arma de fogo. De acordo com a Casa Civil, a transferência será sempre autorizada quando o comprador preencher os requisitos para portar ou possuir a arma, sem mais exigências.

5- Os mercados asiáticos terminaram em queda acentuada hoje, com as ações do Japão liderando a região. O índice Nikkei 225 caiu 1,46%, enquanto o de Hong Kong, Hang Seng, foi de 1,23%, e o da China, Xangai Composite, teve queda de 1,12%. Mercados europeus começam a se recuperar e operam em alta nesta manha de quarta-feira. Investidores do Futuros Americanos não conseguem forçar uma abertura em alta , Wall Street ainda esta em choque com as ultimas perdas. A verdade que os preços dos papeis ficaram muito baratos…e mesmo assim teremos outro dia negro para o pequeno investidor que já perdeu 10% de seu capital nesta semana .

6- A compra estrangeira de ações chinesas desacelerou significativamente desde março e se tornou negativa em abril, com os investidores preocupados que Pequim esteja se tornando mais cautelosa em relação a novos estímulos, em meio a sinais de que a economia está começando a se estabilizar. A incerteza sobre as negociações comerciais sino-americanas também teve um papel na mudança do apetite global por ações chinesas, com os principais índices do país sofrendo uma derrota nesta semana, depois que uma escalada inesperada de Washington pôs em dúvida as perspectivas de um acordo. Os fluxos líquidos para os mercados acionários de Xangai e Shenzhen através do esquema Stock Connect totalizaram 4,4 bilhões de yuans (US $ 649,95 milhões) em março, uma queda acentuada de 60,4 bilhões de yuans em fevereiro. Em abril, houve saídas de 18 bilhões de yuans, tirando uma sequência de ingressos de cinco meses desde novembro de 2018.

Bons Negócios !!____________________Yochanan Pinchas


 

Be the first to comment

Leave a Reply