AS 6 DO DIA 09/05

“Quase todo princípio do fim de algo que um dia foi um sucesso começa com a acomodação.”
– Flávio Augusto

1- A Bovespa brasileira subiu após duas quedas seguidas e chegou a ultrapassar os 96 mil pontos antes de fechar na faixa dos 95 mil pontos. O investidor operou com um olho na comissão especial da Câmara, que discute o mérito da reforma da Previdência, e outro nas manchetes em torno da disputa tarifária entre Estados Unidos e China. Por aqui, a expectativa de aprovação da reforma no Congresso neste ano prevalece após a iniciativa do governo de recriar ministérios, podendo abrigar partidos aliados, além do desenrolar relativamente tranquilo da sessão na comissão que ouve o ministro da Economia, Paulo Guedes. Grosso modo, Guedes voltou a enfatizar a urgência de uma mudança nas regras de aposentadorias e começou a responder perguntas de deputados. Na véspera, o presidente Jair Bolsonaro disse acreditar que o governo já teria os 308 votos necessários para aprovar a reforma em plenário na Câmara. E o mercado sabe que a maior dificuldade será evitar que o texto seja desfigurado ao longo dos debates neste mês. Ao fim do dia, o índice Bovespa fechou em alta de 1,28% a 95.596 pontos, maior avanço em duas semanas.

2- As ações da Petrobras tiveram alta de 3,87% após os resultados do primeiro trimestre, embaladas pela visão positiva sobre o avanço da reforma no Congresso e pela perspectiva de continuidade da redução do endividamento. A estatal registrou lucro líquido de R$4 bilhões, um recuo de 42% na base anual e abaixo do consenso compilado pela TC News. A safra de balanços ganha tração com uma rodada de resultados de empresas ainda na noite desta quarta-feira e amanhã, com destaque para Vale depois do fechamento do mercado. Na ponta negativa, antes da publicação do balanço trimestral, os papéis da GPA se desvalorizaram em 7,43%, com a notícia publicada no jornal O Globo de que o grupo Casino pode anunciar nos próximos dias uma reestruturação para combinar seus ativos na América Latina. Já os juros futuros caíam em bloco, com o contrato para janeiro de 2020 cedendo 2 pontos-base para 6,42% antes da decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central, o Copom, que sairá ainda nesta quarta-feira. A autoridade monetária deve manter a taxa de juros em 6,50% ao ano, sem fornecer uma sinalização clara dos próximos passos em meio ao cenário dúbio.

3- O índice Dow Jones fechou em alta de 0,01%, perto da estabilidade, interrompendo duas baixas consecutivas, em meio às incertezas sobre a guerra tarifária entre EUA e China. O índice S&P500 recuou 0,16%, enquanto investidores monitoram os próximos passos das negociações entre as potências, temendo um acirramento do conflito, que poderia prejudicar a saúde da economia global. O presidente americano Donald Trump comunicou via Twitter que o vice-premiê chinês, Liu He, estará Washington para “fazer um acordo” em conversas previstas para esta quinta-feira – um dia antes da ameaça dos EUA de elevar tarifas sobre US$200 bilhões em produtos chineses a partir de 10 de maio. O governo chinês respondeu dizendo que poderá retaliar os EUA em caso de incremento nas sobretaxas, no mesmo dia em que números da balança comercial chinesa mostraram exportações bem abaixo do esperado, fazendo o superávit cair de US$32,6 bilhões para US$13,8 bilhões; a expectativa era de um aumento. Atentos aos últimos acontecimentos, estrategistas do Goldman Sachs calculam em 40% a probabilidade de que uma alta nas tarifas será evitada. Na visão deles, uma piora da tensão envolvendo as negociações não parece ser do interesse de ambas as partes. Além deste imbróglio no radar, o investidor estará de olho, na quinta-feira, na balança comercial dos EUA e, por aqui, nos números de vendas do varejo em março.

4- As bolsas afundaram na Asia e arrasta junto, os mercados europeus. O investidor aumenta a demanda por ativos mais seguros, como o ouro ou o iene, em mais um dia do noticiário sobre a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China mostrando que as diferenças entre os dois países estão se aprofundando. O tombo de mercado ofusca o peso dos balanços corporativos nesta semana, enquanto a aversão ao risco continuava em alta. Futuros americanos apontam para uma abertura em forte queda . Estamos em um mar revolto e o pequeno investidor esta literalmente afundando , já perdendo todo o rendimento que, duramente, fez no ano de 2019.

5- O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse hoje que o decreto que flexibilizou as regras para a compra e porte de armas no país, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), não faz parte de uma estratégia de combate à criminalidade. “Não tem a ver com a segurança pública. Foi uma decisão tomada pelo presidente em atendimento ao resultado das eleições”, disse. Bolsonaro assinou um decreto que mudou as regras para a compra e porte de armas ontem. O decreto permite agora, por exemplo, que categorias distintas como jornalistas, políticos e conselheiros tutelares possam ter o direito de portar armas. O decreto também tirou da Justiça e deu aos responsáveis legais o poder de autorizar que um menor de idade possa praticar tiro desportivo. A nova legislação teve como base um projeto do presidente que estava parado na Câmara desde 2014. Com a perspectiva do aumento do número de armas vendidas no Brasil, as ações da Taurus fecharam com alta de 23,51%.

6- A B3 (B3SA3) comunicou em nota na última terça-feira (7) que realizará novo procedimento aplicável à listagem e à migração para o Novo Mercado de companhias que realizarem ofertas de distribuição de ações em patamares inferiores a R$ 500 milhões.Ofertas em valores inferiores a R$ 500 milhões eram anteriormente realizadas no referido segmento especial, porém estavam potencialmente sujeitas à verificação por parte da Comissão de Listagem da B3.“Ouvimos o mercado e entendemos que havia a interpretação de que essa verificação da Comissão funcionava como uma barreira para a realização de ofertas menores no Novo Mercado”, afirma Flavia Mouta, diretora de Emissores da B3.

Bons Negócios !!_____________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply