AS QUENTES DO DIA 16/05

“Governo está em um corner permanente; parece que só respira se o Rodrigo Maia deixar.”
Jader Gomes (@jadergomes)

1- A Ultrapar (UGPA3) divulgou nesta quarta-feira (15) os resultados do primeiro trimestre de 2019, tendo seu lucro líquido dentro da norma IFRS 16 mais do que dobrado em relação ao mesmo período de 2018. Com variação de 245%, o volume atingido foi de R$ 251 milhões. Sob análise pós-ajustada, o valor chegou a R$ 243 milhões
A Marfrig (MRFG3) reverteu o prejuízo líquido de R$ 201 milhões visto no primeiro de resultado de 2018 para anotar um lucro líquido de R$ 4,3 milhões entre janeiro e março deste ano, revelou a empresa em um comunicado enviado ao mercado
A Dommo Energia (DMMO3) encerrou o primeiro trimestre do ano com prejuízo de R$ 40,8 milhões, segundo mostra o relatório divulgado pela empresa nesta quarta-feira (15). Tal resultado indica uma melhora em relação ao mesmo período de 2018, quando o valor negativo foi de R$ 329,3 milhões.
Em processo de recuperação judicial desde novembro de 2018, a livraria Saraiva (SLED4) apresentou prejuízo de R$ 63,8 milhões no trimestre passado, revertendo o valor positivo de R$ 1,3 milhão do primeiro trimestre de 201.
A Ferbasa (FESA4) fechou o primeiro trimestre do ano apresentando queda de 27,4% no lucro líquido. O valor, antes em R$ 63,5 milhões no primeiro resultado de 2018, passou para R$ 46,1 milhões.
A Metal Leve (LEVE3) encerrou o primeiro trimestre de 2019 com queda de 10,5% no lucro líquido da companhia, de acordo com o relatório divulgado nesta quarta-feira (15). Com isso, o volume acumulado passou de R$ 71,4 milhões para R$ 63,9 milhões em um ano .

2- Petrobras irá pagar juros sobre o capital próprio e dividendos na segunda-feira – A estatal irá pagar na próxima segunda-feira (20) as últimas parcelas da remuneração aos acionistas referente ao exercício de 2018, sendo uma sob a forma de juros sobre capital próprio (JCP), com base na posição acionária de 21/12/2018, e a outra sob a forma de dividendos aos detentores de ações preferenciais, com base na posição acionária de 25/04/2019 .

3- Mesmo com a aprovação da reforma da Previdência, o país continuará a registrar déficits primários – resultado das contas públicas desconsiderando os juros da dívida – até 2025, só voltando a ter resultados positivos em 2026. A conclusão consta de relatório da Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão auxiliar do Senado. O relatório também apontou alto risco de descumprimento do teto de gastos – que limita o crescimento das despesas federais à inflação – a partir de 2022. Para 2019 e 2020, a IFI considera baixas as chances de os gastos estourarem o teto, mas vê risco moderado em 2021. O principal fator para a revisão das projeções foi a piora nas previsões de crescimento econômico e na arrecadação do governo no curto prazo. A IFI reduziu de 2,3% para 1,8% a estimativa de expansão do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) para 2019. Para 2020, a instituição revisou a estimativa de crescimento de 2,36% para 2,24%.

4- O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro de 11,1 bilhões de reais no primeiro trimestre de 2019. O resultado representa um crescimento de 436,7% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando o lucro ficou na casa dos 2,1 bilhões de reais. Também neste trimestre, o resultado do BNDES com participações societárias foi 725,5% superior ao atingido nos três primeiros meses de 2018.

5- Forças de segurança da Venezuela cercaram a Assembleia Nacional do país alegando a presença de uma bomba no local. O Sebin (serviços de informação do Estado) e elementos da Assembleia Constituinte, fiel a Nicolás Maduro, ocuparam todo o edifício, incluindo o gabinete do presidente da Assembleia e líder da oposição, Juan Guaidó. Foram arrombadas as gavetas da presidência e vice-presidência. Como resposta, os serviços da Assembleia Nacional publicaram na página oficial do Twitter um vídeo com imagens das forças de segurança em torno do palácio federal, sob o título “o que teme o regime?”.

6- Espera-se que o presidente dos EUA, Donald Trump, adie a decisão de impor tarifas sobre carros e peças importados em até seis meses, disseram à Reuters funcionários do governo Trump, evitando abrir mais uma frente em suas batalhas comerciais globais. Um anúncio formal é esperado até sábado, data marcada para Trump tomar uma decisão sobre as recomendações do Departamento de Comércio para proteger a indústria automobilística americana das importações por motivos de segurança nacional, disseram os funcionários. Um porta-voz da Casa Branca se recusou a comentar. Eles acrescentaram que o governo elaborou uma linguagem para adiar formalmente uma decisão sobre as tarifas que deve ser entregue até 18 de maio. A Reuters informou na semana passada que as montadoras esperavam que Trump atrasasse a decisão, já que as negociações comerciais estão em andamento com a União Européia e o Japão. A General Motors, a Volkswagen, a Toyota Motor e outras empresas alertaram para os impactos negativos da imposição de tarifas de até 25% sobre carros e peças importados. A Casa Branca realizou uma série de reuniões de alto nível sobre a questão nos últimos dias, e autoridades do governo disseram repetidamente às montadoras que planejam adiar a decisão.

Bons Negócios !!_________________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply