AS QUENTES DO DIA 17/05

“Gostei do resultado de Cemig, voltará a ser uma das melhores vacas leiteiras da Bolsa. Junto com Sanepar, são dois ativos que carregaria por anos sem dor de cabeça.”
Johny Leite (@johnyleite94)

1- A Safra Corretora rebaixou hoje suas projeções para a ação Cielo (SA:CIEL3), reduzindo o preço-alvo para R$ 8,00, ante a estimativa anterior de R$ 12,00 para o fim deste ano. Um corte de 33%, ou um terço do valor esperado para o papel. A corretora manteve o rating Neutro (manutenção) para a ação “devido à deterioração contínua no segmento de adquirência de cartões em um ambiente competitivo”, numa referência à guerra das maquinhas que tomou conta do mercado. No relatório, os analistas Luis Azevedo e Sílvio Dória explicam que ajustaram suas estimativas para a Cielo para incorporar resultados recentes e estimativas mais conservadoras para o negócio de aquisição, devido a uma concorrência mais acirrada. Esses eventos foram parcialmente compensados ​​por uma revisão para baixo das premissas de taxa de desconto.
Segundo os analistas do Safra, a Cielo deve ter um desafio em 2019 para atingir sua projeção de ganhos. Os resultados fracos da Cielo no primeiro trimestre e o recente movimento da concorrência reduzindo taxas e custos para os clientes dificultaram o cumprimento da projeção de ganhos (variação de R $ 2,3 bilhões a R $ 2,6 bilhões) no final do ano. “Nossas premissas já assumem que a Cielo não chegará perto de alcançar o piso da projeção”, diz o relatório, que cita uma estimativa de lucro ajustado para 2019 caindo de R$ 2,45 para R$ 1,91 bilhão, representando uma contração de 42% em relação ao lucro líquido do mesmo período do ano anterior. Para 2020, a projeção do Safra passou de R$ 2,3 bilhões para R$ 1,7 bilhão.

2- A BR Distribuidora(SA: BRDT3) iniciará na segunda-feira testes com o “Cartão do Caminhoneiro Petrobras”, que visa dar garantia de estabilidade de preços do diesel a motoristas, especialmente os autônomos. O cartão, que também será disponibilizado a transportadores e embarcadores, funcionará como um pré-pago na compra de diesel, em postos com a bandeira Petrobras nos principais corredores rodoviários do país. Com o cartão, o objetivo é que os caminhoneiros não fiquem mais sujeitos a eventuais volatilidade dos preços, uma queixa recorrente da categoria. Mas a BR, distribuidora de combustíveis controlada pela Petrobras, defendeu nesta quinta-feira que o produto vai gerar valor para a companhia. Os estudos para implantação do cartão foram anunciados em março, em meio a ameaças de caminhoneiros de uma nova greve. Eles afirmam que muitas vezes perdem dinheiro se o diesel sobe após o contrato ser fechado. Membros do governo, incluindo o presidente Jair Bolsonaro, citaram a solução como uma das medidas para aliviar problemas do setor.

3- O Sindicato Nacional de Aeronautas (SNA) afirmou nesta quinta-feira que vai recorrer de decisão judicial que concedeu liminar determinando manutenção de 60 por cento do serviço da Avianca Brasil durante greve de tripulantes, marcada para começar na sexta-feira nos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont. “O SNA irá recorrer da decisão e destaca que está mantido o movimento de greve”, afirmou a entidade, acrescentando que a “paralisação completa dos voos da Avianca corresponde à suspensão de uma parcela ínfima da oferta do mercado”. A liminar, concedida pelo Tribunal Superior do Trabalho, determinou pena de multa diária de 100 mil reais em caso de descumprimento do percentual pelos tripulantes da empresa. O sindicato afirmou que a Avianca Brasil tem atualmente apenas seis aeronaves em operação, ante mais de 400 das três principais concorrentes da empresa, GolA, Latam e Azul. “A paralisação unicamente dos empregados da Avianca não terá, portanto, a capacidade de prejudicar a sociedade”, afirmou o SNA. Os pilotos e comissários de voo da Avianca Brasil decidiram na segunda-feira entrar em greve a partir da sexta-feira, em protesto contra atrasos de salários e verbas como diárias, vale alimentação, férias atrasadas e depósitos de FGTS.

4- A Huawei afirmou que não descartou uma ação legal para resolver uma crise crescente com o governo Trump após a decisão do Departamento de Comércio de colocar a gigante chinesa de tecnologia em uma lista negra de negociações. “Todas as opções estão na mesa”, disse Don Morrissey, chefe de assuntos governamentais, estaduais e locais para a Huawei nos Estados Unidos, em entrevista à CNN. “A Huawei está comprometida em encontrar um remédio o mais rápido que pudermos.”
Morrissey disse que a empresa “muito” quer chegar a uma solução amigável com o governo dos EUA, mas ainda não conseguiu marcar uma reunião com funcionários do governo para discutir o assunto.
A Huawei informou que está aberta a limitações que podem permitir que a empresa continue negociando com empresas dos EUA, como restrições nos tipos de clientes dos EUA que a Huawei pode vender ou nomear monitores externos para inspecionar os produtos e práticas de rede da Huawei.

5- O Goldman Sachs fez seu primeiro resgate de fusões e aquisições na era David Solomon, conquistando a United Capital em uma tentativa de reforçar seus negócios de administração de fortunas. O peso-pesado de Wall Street está investindo cada vez mais na indústria de gestão de fortunas lenta, mas estável, na esperança de compensar a turbulência vivenciada em seu braço de comércio antes elogiado.
A compra da Goldman por US $ 750 milhões da United Capital, sediada em Newport Beach, na Califórnia, é a maior da empresa em quase duas décadas, informou o The Wall Street Journal.

Bons Negócios !!_____________________Yochanan Pinchas


Be the first to comment

Leave a Reply