AS 6 DO DIA 12/06

Fechem o Congresso e o STF e vamos trabalhar, se não o Brasil não sai da crise!!

1- A Petrobras pretende investir 105 bilhões de dólares em cinco anos e desinvestir até 35 bilhões de dólares no mesmo período, disse nesta terça-feira o presidente da companhia, Roberto Castello Branco. Os valores citados pelo executivo durante audiência na Câmara estão acima dos 84,1 bilhões de dólares previstos em investimentos no Plano de Negócios e Gestão da Petrobras 2019-2023, divulgado ao final do ano passado, quando Castello Branco ainda não havia assumido a companhia. Da mesma forma, os desinvestimentos previstos nesta terça-feira também superam a potencial entrada de recursos com vendas de ativos de 26,9 bilhões de dólares prevista no plano. “Isso se chama gestão de portfólio”, afirmou o presidente da Petrobras, de acordo com informações da assessoria de imprensa da empresa. A estimativa de venda de ativos foi feita por Castello Branco após o Supremo Tribunal Federal decidir na semana passada que não é necessário o aval do Congresso para a venda de subsidiárias de estatais. Boa parte dos desinvestimentos deve ser obtida com a venda de refinarias. Quando o plano foi divulgado, a ideia não era vender integralmente oito refinarias.

2- O Cadastro Ambiental Rural (CAR) deve ser obrigatório para produtores do Brasil, uma vez que é uma ferramenta importante para o rastreamento da origem dos produtos agrícolas, indicando se os cultivos foram feitos dentro da legislação ambiental, afirmou nesta terça-feira um representante da indústria da soja. “O CAR é absolutamente necessário para rastrear… todos os mercados querem o rastreamento da cadeia. As pessoas querem saber se está expandindo em área aberta ou de floresta”, disse o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), André Nassar. “Queremos o fortalecimento do sistema. Qualquer que seja a mudança no CAR, tem que ser mantida a obrigatoriedade do CAR e tem de ter prazo para o cadastramento.” A posição vai na linha contrária de algumas iniciativas de parlamentares da bancada ruralista.

3- O BNDES [BNDES.UL] anunciou nesta terça-feira reformulação de sua estrutura interna, deixando sob gestão da diretoria de investimentos vendas de ativos do banco e da União, incluindo as participações em empresas como IRB (SA:IRBR3) e Vale (SA:VALE3), e projetos de todas as esferas de governo. “A nova diretoria criada estará focada no alinhamento da carteira da BNDESPar às recentes necessidades do banco”, afirmou o BNDES em comunicado à imprensa, acrescentando que será responsável pela venda de participações já maduras, inclusive de fundos de investimentos, além de outras diretas em empresas listadas e não listadas.n “A área deverá contribuir ainda para o desenvolvimento de novos produtos… O fomento dos mercados de capitais no país continuará um dos seus objetivos”, acrescentou o banco. A área de Investimentos, Empreendedorismo e Garantias (AIEG) do BNDES será comandada por Marcelo Marcolino. A área de Desestatização e Estruturação de Projetos (ADEP) já está sob comando de Lidiane Delesderrier Gonçalves desde 4 de junho;

4- O ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) irá em 19 de junho, às 9h, ao Senado prestar esclarecimentos sobre as conversas com o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, vazadas no domingo pelo site The Intercept Brasil. Durante sessão no STF (Supremo Tribunal Federal) hoje, o ministro Gilmar Mendes se manifestou sobre o caso. “Juiz não pode ser chefe de força-tarefa, nem chefiar procurador”, afirmou. Em visita surpresa ao Senado na tarde de hoje, Moro se defendeu e disse que “criminoso é o hacker” que acessou suas conversas. Ainda não se sabe como as mensagens foram obtidas.

5- Os mercados asiáticos terminaram amplamente em baixa hoje, com ações em Hong Kong liderando a região. O índice Hang Seng caiu 1,73%, enquanto o Xangai, da China, caiu 0,56% e o Nikkei 225, do Japão, 0,35% .Os papéis europeus recuaram em relação às altas de três semanas, depois que os EUA endureceram sua posição sobre o comércio com a China. Pequim mostrou que a inflação na fábrica desacelerou em maio, aumentando os temores de uma desaceleração econômica global. Futuros em Nova York parece indicar que o rali acabou.

6- A Bovespa teve desempenho favorável nesta terça-feira, e se aproximou da marca dos 99 mil pontos, reflexo de um ambiente interno mais calmo em relação ao vazamento de conversas referentes à Operação Lava Jato. Hoje, o investidor passou a reler a situação envolvendo o ministro da Justiça, Sérgio Moro, que aceitou convocação do Senado para dar explicações sobre o caso dia 19, e tranquilizou ainda mais o mercado quanto à possibilidade de contaminação da pauta econômica no Congresso. Alguns sinais ao longo do dia ajudaram nesse sentido. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que vai blindar a Casa de qualquer crise e que focará na aprovação de reformas e de projetos essenciais para o Brasil. A declaração, após o silêncio de ontem, impulsionou o índice Bovespa no começo da tarde. A fala do presidente da Comissão Especial da Câmara, Marcelo Ramos, de que os parlamentares devem se reunir na quinta-feira para discutir o relatório da Previdência, também ajudou. Somou-se a isso a notícia de que o PSDB havia fechado questão a favor da Reforma da Previdência. A aprovação do pedido governamental de crédito suplementar de R$249 bilhões, na Comissão Mista de Orçamento, após acordo com a oposição e o Centrão, também favoreceu o cenário interno. Ficou acertado que serão descontingenciados, via portaria, R$2 bilhões, sendo metade da verba para educação e outra metade para o programa Minha Casa Minha Vida, além de mais R$550 milhões para obras de transposição do Rio São Francisco e R$330 milhões para bolsas de estudo do CNPq. A aprovação fez a bolsa renovar a máxima do dia.

Bons Negócios !!_______________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply