AS 6 DO DIA 11/07

Ibovespa: 106 MIL pontos
Dólar: 3.75
Inflação do mês de Junho: 0,1% 
Prévia de Inflação para o ano: 3,80
Então esquerdopatas?

1- O Ibovespa atingiu nova máxima de fechamento nesta quarta-feira, impulsionado pelo otimismo do mercado com o início da votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara dos Deputados. O Ibovespa subiu 1,23%, a 105.817,06 pontos. Com isso, passa a acumular alta de 20,4% em 2019. O volume financeiro da sessão somou 21,5 bilhões de reais na sessão. O mercado monitorou o processo de votação do texto principal da reforma da Previdência no plenário da Câmara dos Deputados, considerada pelo governo peça-chave para o reequilíbrio das contas públicas do país. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que a sessão deve ir até a madrugada de quinta-feira para encerrar o primeiro turno da votação. A previsão de Maia é que o segundo turno seja encerrado até sexta-feira. “O mercado está precificando essa aprovação”, afirmou Felipe Silveira, analista de investimentos da Coinvalores, que também reiterou otimismo na expectativa que a votação em segundo turno seja realizada antes do recesso parlamento dia 18 de julho.

2- A Justiça Federal do Distrito Federal concedeu parcialmente liminar nesta quarta-feira determinando que a Vale apresente ao juízo, em audiência, sua estrutura de compliance ambiental, indenizatória e reparadora para que possa adquirir a mineradora Ferrous, segundo documento com a decisão da juíza Diana Wanderlei, substituta da 5ª Vara Federal de Brasília. A decisão ocorreu em resposta a uma ação popular com pedido liminar, que pedia a suspensão da aquisição da Ferrous Resouces pela Vale até que a gigante mineradora comprovasse reparações e indenizações referentes a rompimentos de barragens envolvendo a companhia. A juíza disse que ao menos neste momento não há qualquer suspensão da operação, mas que o pedido será analisado caso a Vale não apresente seus argumentos ou os apresente de forma precária. A aquisição foi aprovada pelo Conselho de Administrativa de Defesa Econômica (Cade) sem restrições e publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União. A operação havia sido anunciada em dezembro, por 550 milhões de dólares, e chegou a ser alvo de recurso no Cade pelo Porto Sudeste. A ação movida contra a operação alega que “o ato do Cade foi falho, uma vez que não ponderou e nem analisou o impacto ambiental com efeitos econômico-concorrenciais nefastos nas comunidades atingidas pelos sinistros causados, diante dos rompimentos das barragens de Mariana e de Brumadinho”.

3-  A aprovação do texto-base da reforma da Previdência com ampla margem em votação na Câmara dos Deputados foi recebida com euforia no Ministério da Economia e aplausos no gabinete do ministro Paulo Guedes, afirmou uma fonte que participou do momento. Em condição de anonimato, a fonte apontou que o placar de 379 votos a favor da Proposta de Emenda à Constituição foi melhor que a mais otimista das previsões no ministério. Por ser uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) era preciso o voto de pelo menos 308 dos 513 deputados. Guedes recebeu palmas e retribuiu com “parabéns” aos membros da sua equipe. Na quinta-feira, o ministro se reunirá com seus secretários para alinhar a atuação da Economia daqui para frente vencida a que era considerada a maior batalha para endireitar as contas públicas. A votação sobre a reforma foi encerrada após o primeiro destaque ao texto. Outros destaques serão votados na quinta-feira, para concluir o primeiro turno. Após a reforma terminar de ser votada em dois turnos na Câmara dos Deputados, ainda precisa passar pelo mesmo rito no Senado.

4- O presidente Jair Bolsonaro diz que as emendas são parte do orçamento federal e, como tal, seu desembolso é coisa corriqueira. Com o primeiro turno quase no bolso, o mercado aguarda o segundo turno que, segundo o presidente da Casa, Rodrigo Maia, poderia ocorrer na sexta-feira, atendendo à expectativa dos investidores de aprovação antes do recesso parlamentar, que começa em 18 de julho. Ainda é negociado entre deputados alguma fórmula para incluir estados e municípios na reforma, ainda na Câmara. A proposta deve ser diluída – de R$1,24 trilhão que o governo queria para R$950 bilhões – e bem acima do que o mercado esperava: alguma coisa entre R$600 e $700 bilhões. Não bastasse a aproximação da aprovação, o cenário externo ainda ajudou a dar um empurrão nos mercados de renda variável e câmbio por aqui. Pela manhã, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse em discurso preparado antes de uma sabatina no Congresso dos Estados Unidos que os riscos de uma inflação baixa persistente estão crescendo, e que os perigos para a economia se mantêm latentes na esteira da prolongada guerra comercial com a China e de outras disputas da mesma natureza, além da menor dinâmica nos investimentos das empresas. O mesmo tom apareceu na ata da última reunião do comitê de política monetária do Fed, divulgada nesta tarde. 

5- Membros da diretoria do FED acham que o cenário de incertezas e os riscos negativos para a economia dos Estados Unidos fortalecem o racional por trás de uma redução na taxa-alvo básica de juros. Esse tom mais dócil quanto à política monetária favoreceu a busca por ativos de risco nesta quarta-feira e dissipou algum temor de não haver corte de juros iminente, herdado da semana passada, quando foram divulgados fortes de emprego na maior economia do mundo. As bolsas americanas dispararam, com o índice S&P500 tocando 3 mil pontos pela primeira vez e chegando mais uma vez a um recorde intradiário, enquanto o dólar americano e os rendimentos dos Treasuries de dez anos recuaram forte.

6- Os mercados asiáticos terminaram em alta hoje, com ações em Hong Kong liderando a região. O índice Hang Seng subiu 0,81%, enquanto o índice Nikkei 225 do Japão subiu 0,51% e o índice Shanghai Composite, da China, subiu 0,08%. Os mercados europeus estão misturados hoje. O FTSE 100 subiu 0,26%, enquanto o CAC 40 avançou 0,25%. O DAX é par. Nos EUA, os investidores, otimistas com o corte de juro , no fim do mês, prometem abertura das bolsas em alta.

Bons Negócios !!_____________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply