AS QUENTES DO DIA 12/07

“Petrobras fechou acima da resistência de R$28,39 e testou R$20,50; vamos ver hoje se a empresa segue adiante”
Henrique Moura (@henriquemoura)

1- A elétrica Light (SA:LIGT3) precificou suas ações a 18,75 reais por ação para as ofertas primária e secundária, disseram duas fontes com conhecimento do assunto. A Light procura levantar capital através da oferta de ações para reduzir sua dívida, enquanto sua controladora, a elétrica mineira Cemig (SA:CMIG4), pretende vender uma parcela da companhia. Mais cedo neste mês, a Reuters noticiou que a Light estava preparando sua oferta de ações.

2- Hoje, o investidor deve seguir com foco total na Reforma da Previdência. Na agenda econômica, teremos o índice do setor de serviços no Brasil, referente a maio, divulgado pelo IBGE, além da pesquisa industrial mensal regional. Pela manhã, o Ministério da Economia irá divulgar projeções macroeconômicas, com estimativas para o PIB e Inflação em 2019, à imprensa. No exterior, sairão o índice de preços ao produtor nos EUA, de junho, a produção industrial mensal de maio na União Europeia, além da balança comercial de junho na China. Será divulgado também o relatório de política monetária dos EUA e haverá o discurso do presidente do Fed em Chicago, Charles Evans, que pode trazer mais informações a respeito dos juros na maior economia do mundo.

3- A Petrobras (PETR3, PETR4) comunicou em nota nesta quinta-feira (11) o início da fase não vinculante referente à venda integral de sua participação de 34% na Compañia MEGA da Argentina, via subsidiária a integral Petrobras International Braspetro. De acordo com a estatal, os habilitados para essa fase receberão instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo as orientações para elaboração e envio das propostas não vinculantes. “A presente divulgação está em consonância com a Sistemática para Desinvestimentos da Petrobras. Essa operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, visando à geração de valor para os nossos acionistas”, conclui a maior petrolífera da América Latina.

4- O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que estuda indicar um de seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), 35, para embaixador do Brasil nos Estados Unidos. “Ele poderia ser a pessoa adequada e daria conta do recado perfeitamente em Washington”, afirmou a jornalistas. Eduardo selaria a guinada ideológica do Itamaraty, que já tem retirado termos relacionado a ‘gênero’ de seus textos e se alia a islâmicos em temas de sexo e família na ONU. Hoje, o presidente da República também manifestou desejo de trocar o termo ‘genitor’ por ‘pai e mãe’ nos passaportes brasileiros. Eduardo Bolsonaro preside a Comissão de Relações Exteriores da Câmara e costuma viajar com o pai para missões fora do país. Ele participou do encontro entre Jair Bolsonaro e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e foi publicamente elogiado pelo norte-americano.

5- O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (11) que o advogado-geral da União, André Luiz Mendonça, está entre os “bons nomes” que ele considera para indicar ao Supremo Tribunal Federal (STF). Após dizer que indicará um ministro evangélico para a corte, o nome de Mendonça passou a ser ventilado na imprensa. O presidente, no entanto, negou essas especulações. “Primeiro, da minha boca não saiu isso. Eu sei que ele é terrivelmente evangélico. Temos muito bons nomes para o STF, e o André Luiz é um nome que, com toda certeza, está entre uma lista aí com muito apoio por parte do presidente”, afirmou em entrevista a jornalistas após participar da posse do novo diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o delegado da Polícia Federal Alexandre Ramagem Rodrigues.

6- O superávit comercial da China com os Estados Unidos subiu 12% em termos de yuans no primeiro semestre deste ano, informou a agência alfandegária na sexta-feira. As exportações para os EUA caíram 2,6% em termos de yuans nos primeiros seis meses deste ano em relação ao mesmo período do ano anterior, enquanto as importações encolheram 25,7%, disse Li Kuiwen, porta-voz da alfândega, em um comunicado trimestral. As fricções comerciais entre os EUA e a China provocaram alguma pressão sobre o comércio da China, mas o impacto é gerenciável, disse Li. O mês de junho marcou o primeiro mês completo de tarifas mais altas dos EUA sobre 200 bilhões de dólares de produtos chineses, que Washington anunciou semanas antes, depois que as negociações comerciais entre as maiores economias do mundo quebraram. Embora ambos os lados tenham concordado, no final de junho, em retomar as negociações, e Washington disse que adiaria as cobranças adicionais, as tarifas existentes permanecem em vigor.

Bons Negócios !!_____________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply