AS CURTAS DO DIA 04/09

Não se enganem pois estes senadores jogam sujo e se estas 460 emendas forem aprovadas acabara a reforma da previdência .

1- O presidente Jair Bolsonaro será operado na manhã do próximo domingo e passará o cargo ao vice-presidente Hamilton Mourão, disse nesta terça-feira o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros. O presidente terá que retirar uma hérnia surgida no local das cirurgias anteriores, feitas por causa da facada que levou durante a campanha eleitoral do ano passado, e deverá ficar afastado por até 10 dias. Ainda segundo o porta-voz, dois dos filhos do presidente, o vereador no Rio de Janeiro Carlos (PSC) e o deputado federal Eduardo (PSL-SP), além da primeira-dama Michelle o acompanharão durante o período em São Paulo. A necessidade de cirurgia e de adotar uma dieta líquida a partir de sexta-feira fez com que fosse cancelada o encontro presidencial sobre a Amazônia marcada para esse dia. Rêgo Barros confirmou que em vez de um encontro, os presidentes da região farão uma videoconferência no final da manhã de sexta.

2- O Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre do ano, divulgado na semana passada pelo Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), veio acima da expectativa de alta 0,2% dos analistas do mercado ao registrar uma expansão de 0,4%. O resultado reverteu o recuo de 0,1% no período anterior e, assim, a recessão técnica não ocorreu. Além disso, foi o melhor resultado registrado para este período do ano desde 2013 e é o maior resultado trimestral desde o terceiro trimestre de 2018.
A surpresa positiva não alterou a perspectiva dos analistas, que mantêm o diagnóstico de retomada gradual da atividade econômica para o restante do ano, ainda mais que a economia brasileira está 5% aquém do pico de atividade de antes do início da crise em 2014. A precaução prevalece especialmente se analisar a tendência do principal fator que impulsionou a economia brasileira no segundo trimestre: os investimentos, que registraram uma expansão de 3,2% sobre o primeiro trimestre.
Analistas veem esse movimento mais como respiro do que como um sinal consistente de recuperação, o que mantém cenário-base de economia lenta e em retomada apenas gradual. A expectativa é de desaceleração no aumento da capacidade produtiva, devido ao elevado nível de ociosidade na economia e ao crescimento ter ocorrido graças a setores específicos, como os empreendimentos voltados a segmentos de alto luxo na construção civil.

3- Os mercados asiáticos terminaram em alta hoje, com ações em Hong Kong liderando a região. O Hang Seng subiu 4,12%, o Shanghai Composite da China subiu 0,93% e o Nikkei 225 do Japão subiu 0,12%.
As bolsas de valores da Europa subiram no início das negociações e as de Hong Kong subiram ao máximo desde 2011, após um relatório afirmando que o chefe da assembléia legislativa de Hong Kong retiraria formalmente um projeto de lei controverso que provocou três meses de protestos. Futuros em Nova York apontam para uma forte alta na abertura, em Wall Street.

4- Senadores apresentaram hoje mais de 460 sugestões de alteração à proposta de reforma da Previdência, superando as 277 emendas sugeridas quando a PEC (proposta de emenda à Constituição) estava na Câmara. Com o fim do prazo para emendas no Senado, o relator da reforma, Tasso Jereissati (PSDB-CE), deve apresentar um novo parecer nesta quarta-feira (4) na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). A presidente da comissão, Simone Tebet (MDB-MS), espera votar o projeto no mesmo dia. As emendas podem ser acatadas ou não pelo relator. As que ele entender como pertinentes são incluídas no relatório para a votação na comissão. Na semana passada, quando apresentou a mais recente versão da reforma, Tasso informou esperar uma economia de R$ 990 bilhões em dez anos -valor que pode subir para R$ 1,35 trilhão no mesmo período se for aprovada a mudança nas regras de aposentadorias de estados e municípios. A PEC paralela, onde foram inseridas alterações como a inclusão de estados e municípios, já será desmembrada e votada na CCJ nesta quarta. Assim, ela já ficará pronta para ser votada em plenário, o que deve acontecer até o fim de outubro.

5- A equipe econômica comandada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, avalia que agosto deverá ser o “fundo do poço” para a economia. Hoje o Itaú disse que o terceiro trimestre mostrará contração do produto interno bruto. Será? Segundo o secretário de política econômica do ministério, Adolfo Saschida, a atividade só voltará a crescer a partir de setembro. Ele cita a baixa produtividade no Brasil e o cenário externo conturbado como pontos que podem adiar a retomada. No caso americano, os dados do PMI ISM de manufatura puxaram o dólar americano para baixo, dando um alívio ao real. A atividade do BC brasileiro para mitigar a volatilidade e fornecer as tesourarias empresariais e bancárias com mais moeda estrangeira também ajudou. Ontem, o índice DXY, que mede o desempenho do dólar ante seus pares, tinha atingido a máxima em dois anos.

6- A junção entre forte desvalorização do real frente ao dólar e queda do mercado acionário durante agosto levou o Ibovespa a ser a pior classe de ativos de todo o mundo.
A avaliação é do Deutsche Bank na comparação com diversas classes de ativos. Ao medir o retorno em dólares, o Ibovespa perde para todos: perda total de 8,05% – com alta de 8,72% do dólar e queda de 0,67% do índice.
Em contrapartida, quando o retorno é medido em moeda local, o índice Hang Seng mostrou o pior desempenho durante agosto, com desvalorização de 7,1%. Instabilidade em relação às negociações comerciais e onda de protestos em Hong Kong pesaram contra o índice.
Do outro lado, a prata apresentou a maior valorização, ao lado do ouro. Iene em relação ao dólar e Treasuries também apresentaram desempenho positivo em agosto, diante da menor propensão ao risco dos investidores.

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply