AS CURTAS DO DIA 09/09 BOLSONARO PASSA BEM E BORIS FECHA O CONGRESSO

1- A Alrosa da Rússia (MM: ALRS) está conversando com vários varejistas globais de joias sobre o marketing conjunto da marca de joalheria que usa diamantes fluorescentes, enquanto se esforça para criar um novo nicho para as pedras naturais. A demanda global por todos os tipos de diamantes foi atingida por uma guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, os dois maiores mercados de diamantes do mundo. Os preços das pedras menores caíram, já que as reduções deliberadas da produção ainda precisam remover o excesso de oferta. A Alrosa e seus concorrentes, principalmente a De Beers da Anglo American (L: AAL), estão apostando em uma estratégia de “valor acima do volume”. A Alrosa espera produzir 38,5 milhões de quilates em 2019, mas venderá de 32 a 33 milhões de quilates, armazenando o restante até dias melhores. “Nosso objetivo é fornecer diamantes polidos fluorescentes – cortados pela Alrosa ou por seus clientes – para os varejistas e fornecer suporte de marketing, incluindo design de jóias, se necessário”, disse Ivanov. A fluorescência, um brilho azulado produzido pelos raios ultravioleta de uma lâmpada ou do sol, é uma característica de 25% a 35% dos diamantes, de acordo com o Gemological Institute of America (GIA). Não é ruim para a pedra preciosa, de acordo com o GIA, e não é um fator de classificação como os 4Cs tradicionais – cor, nitidez, peso de corte e quilate – usados ​​para determinar a qualidade. Cerca de metade de todos os diamantes produzidos globalmente tem alguma fluorescência, enquanto 3% a 10% têm fluorescência forte, disse Ivanov. Com vendas anuais globais de diamantes em bruto de US $ 15 bilhões e demanda de joias com diamante em US $ 85 bilhões, qualquer novo nicho de marketing é atraente para toda a cadeia de suprimentos. “Será uma linha especial. Um diamante que brilha em uma boate, em um teatro ou mesmo nos raios do sol”, disse Ivanov. “Vemos essa demanda nas pesquisas de opinião e temos certeza de que a converteremos em vendas”.

2- MARANELLO, Itália (Reuters) – A Ferrari (M: RACE) revelará seu mais recente carro esportivo nesta segunda-feira, enquanto a montadora italiana de luxo busca uma implementação agressiva de novos modelos para sustentar seus principais ganhos com turbo e aumentar o preço das ações.Com um motor de oito cilindros, montado na traseira de 3,9 litros e potência de 720 cavalos, o F8 Spider também possui um capota rígida retrátil. “É menos extremo que o 488 Pista Spider, mas mais esportivo que o 488 Spider, que substitui no intervalo”, afirmou a Ferrari em comunicado. O preço médio de venda de uma Ferrari ficou em torno de 274.000 euros (US $ 303.000) no ano passado, incluindo peças de reposição, um cálculo baseado em dados financeiros da empresa. A montadora divulgará outro modelo ainda nesta segunda-feira em um evento para clientes e fãs em sua base histórica em Maranello, perto de Modena, norte da Itália. A Ferrari também prometeu vários carros híbridos de edição especial e um veículo utilitário, o Purosangue, que é esperado até o final de 2022, pois procura quase dobrar os ganhos do núcleo e aumentar as margens para acima de 38% sem sacrificar a exclusividade.

3- É quase certo que o BCE aprovará novas medidas de estímulo na quinta-feira para impulsionar uma economia em dificuldades, mas a composição exata do pacote de estímulos ainda não está clara. Embora um corte na taxa de juros pareça consenso, a grande questão é se uma retomada da compra de ativos fará parte do pacote depois que alguns formuladores de políticas disseram que seria prematuro. “Embora duvidemos que mais flexibilizações monetárias gerem muito efeito de crescimento, não fazer mais nada é uma opção, já que os mercados já previram flexibilizações adicionais”, escreveram economistas do ING. “Esperamos um corte na taxa de depósito de 20 pontos base, um sistema de taxas de juros em camadas por excesso de liquidez, condições mais generosas de estímulos (TLTRO) e € 30 bilhões por mês de flexibilização quantitativa (embora esse último ponto ainda esteja sendo discutido e possa ser adiado para esperar pelo resultado do Brexit) ”.

4- Um adiamento de três meses do Brexit parece cada vez mais provável depois que os esforços do primeiro-ministro Boris Johnson de tirar a Grã-Bretanha da União Europeia em 31 de outubro com ou sem acordo fracassaram. Johnson perdeu a maioria no parlamento na semana passada e viu sua tentativa inicial de convocar uma eleição geral antecipada ser bloqueada. Na segunda-feira, espera-se que Johnson faça uma segunda tentativa de convocar eleições instantâneas, mas os parlamentares da oposição disseram na sexta-feira que não apoiariam uma eleição até que o governo solicite uma extensão à UE. Com a economia mostrando sinais de oscilação à beira da recessão, o relatório de emprego do Reino Unido será o destaque do calendário de dados do Reino Unido, que também apresenta atualizações sobre o crescimento do segundo trimestre, juntamente com números sobre produção industrial, construção e comércio.

5- Wall Street deve abrir a semana um pouco mais alta após um fim de semana relativamente livre de drama, pelo menos no que diz respeito às principais questões de política comercial e monetária. Os mercados Asiaticos , fecharam em alta, na sua maioria , os problemas politicos em Hong Kong ainda pesa no índice Hang Seng. A europa , opera neste momento, confusa, com os mercados suíço e alemão em alta e o resto do continente na espera do Draghi falar mais besteira em sua entrevista programada .

6- A cirurgia para correção de uma hérnia incisional no abdômen do presidente Jair Bolsonaro foi bem-sucedida, mas durou mais do que o previsto pelo fato de o intestino ter novamente aderido na parede abdominal. Com previsão de duração de duas a três horas, a cirurgia realizada no domingo começou às 7h35 e terminou às 12h40. “Cirurgia é assim, a gente fala que vai durar duas horas, depois se levar quatro é o que é necessário. O que não pode é você correr na cirurgia… o importante é ficar bem feito”, disse o cirurgião Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo em entrevista coletiva com o porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros.

7- O parlamento britânico vai ficar suspenso a partir do final do debate de hoje (9), durante cinco semanas, até 14 de outubro de 2019, confirmou hoje um porta-voz do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.
Na agenda parlamentar de hoje estão previstos debates sobre legislação para a Irlanda do Norte e uma proposta de eleições antecipadas feita pelo governo, mas que a oposição já disse que pretende inviabilizar.
A suspensão até 14 de outubro causou uma onda de indignação no Reino Unido quando foi anunciada no final de agosto, levando a oposição a qualificar a decisão como um “escândalo e uma ameaça à democracia” e uma manobra para forçar um Brexit sem acordo a 31 de outubro.
O governo britânico obteve autorização da rainha Elizabeth II com o objetivo de “apresentar uma nova agenda legislativa nacional ousada e ambiciosa para a renovação do país após o Brexit” em 14 de outubro, disse o primeiro-ministro, Boris Johnson.

8- A Justiça dos EUA aprovou, em definitivo, um acordo de US$ 3 bilhões (em torno de R$ 12 bilhões) feito entre a Petrobras (PETR3; PETR4) e os acionistas do país, mostra um comunicado enviado ao mercado pela estatal nesta segunda-feira (9).
O acordo ratificado pela Corte de Apelações do Segundo Circuito “não constitui admissão de culpa ou de prática de atos irregulares pela Petrobras, reconhecida pelas autoridades brasileiras como vítima dos fatos revelados pela Operação Lava-Jato”.
A partir de hoje, explica o documento, o acordo não está mais sujeito a qualquer recurso, tornando-se definitivo.

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply