AS CURTAS DO DIA 10/09 (INCLUINDO ISRAEL)

Eu vivo aqui, e sei que com lei ou sem teremos as câmeras vigiando os pontos de votação , chega de fraudes , e se reclamarem , melhor nem irem no banheiro por que serão filmados bando de libertários sonegadores de voto .

1- O governo brasileiro buscará a aprovação para que mais instalações de produção de carne possam exportar à China, além das 25 autorizadas nesta segunda-feira, disse o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Orlando Ribeiro. Falando em um evento do Conselho Empresarial Brasil-China nesta segunda-feira, Ribeiro disse que o governo está trabalhando com o país asiático para introduzir um sistema de pré-aprovação aos estabelecimentos de carnes. Ele ressaltou que a China possui controles sanitários muito rígidos.

2- O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, vai reforçar em Londres a mensagem de que um cenário benigno para a trajetória da inflação tende a viabilizar cortes adicionais na taxa de juros, mas ressaltou que a credibilidade da autarquia tem sido construída com base em uma condução cautelosa da política monetária. “A consolidação do cenário benigno para inflação prospectiva deve permitir ajuste adicional no nível de estímulo”, afirma Campos Neto ao tratar da política monetária em apresentação, divulgada por sua assessoria nesta segunda-feira, para dois seminários que ele fará na terça-feira em eventos em Londres. O Comitê de Política Monetária (Copom) vai se reunir nos dias 17 e 18 de setembro para deliberar sobre a taxa de juros, que está atualmente em 6% ao ano, menor patamar histórico. Na ata da reunião anterior, o comitê já havia indicado que via espaço para afrouxamento monetário adicional, em meio à fraqueza econômica, inflação bem comportada e avanço da reforma da Previdência.

3- Calcular como as mensagens publicadas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Twitter afetam o ânimo dos investidores no mercado financeiro é o objetivo do “Volfefe”, um índice criado pelo banco americano JPMorgan Chase
Com um nome que lembra o “termo” “covfefe”, que Trump escreveu de forma equivocada na rede social no ano passado, a ferramenta analisou os milhares de tweets publicados pelo presidente americano desde que ele tomou posse em fevereiro de 2017.
A conclusão do banco é que algumas mensagens de Trump aumentam significativamente a volatidade do mercado. E essas publicações têm sido feitas em um ritmo mais acelerado nas últimas semanas, segundo um relatório publicado pelo JPMorgan.
“Os temas desses tweets são cada vez mais para assuntos que movimentam mercados, sobretudo comércio e política monetária”, afirmaram os especialistas do banco, que garantiram que essas publicações afetam a economia de forma imediata.
Segundo o JPMorgan, Trump escreveu mais de dez tweets por dia desde que assumiu o cargo, uma média que vem crescendo desde o fim do ano passado. Já a postagem de mensagens com potencial impacto sobre o mercado disparou em agosto, com repetidas menções à guerra comercial com a China, ao dólar e às políticas adotadas pelo Federal Reserve, o banco central dos EUA. Veja uma matéria especial sobre o assunto em TRUMP E O TWITTER QUE MEXE NOS MERCADOS https://www.mercadosporpinchas.com/2019/08/14/trump-e-o-twitter-que-mexe-nos-mercados/

4- Brasil e México iniciaram negociações para um acordo de livre comércio, disse nesta segunda-feira o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, em uma tentativa de aprofundar os laços entre as duas maiores economias da América Latina, em um momento em que tensões comerciais ameaçam prejudicar o crescimento global. Troyjo disse que o Brasil iniciou formalmente as negociações de livre comércio com o México, que recentemente ratificou um novo pacto comercial com Estados Unidos e Canadá em substituição ao Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês).

5- A balança comercial brasileira apresentou, na primeira semana de setembro, superávit de US$ 1,539 bilhão, informou nesta segunda-feira (9) a Secretaria Especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia. Em um período de cinco dias úteis, as exportações chegaram a US$ 4,811 bilhões e as importações somaram US$ 3,272 bilhões.
Apesar do resultado positivo, na comparação da média diária de exportações com o mesmo período de setembro do ano passado, houve recuo de 4,7%, saindo de US$ 1,010 bilhão de média diária para US$ 962,1 milhões.
De acordo com o ministério, o recuo foi motivado principalmente pela redução de 17,9% nos produtos semimanufaturados (como açúcar em bruto, ouro em formas semimanufaturadas e semimanufaturados de ferro/aço e  ferro fundido, entre outros), de US$ 146,1 milhões para US$ 120 milhões.

6- O risco de a China exportar deflação para o resto do mundo está aumentando. Os números divulgados durante a noite mostraram que os preços ao produtor chinês caíram em sua taxa mais rápida em três anos em agosto, sublinhando os problemas enfrentados por um setor manufatureiro amplamente dependente do acesso ao mercado dos EUA.
Além disso, o Japão disse que os pedidos aos fabricantes de máquinas-ferramentas caíram 37% no ano, o menor desde 2009, em outro reflexo de como a incerteza predominante em torno do comércio e do Brexit está prejudicando o investimento das empresas. Os dados da produção industrial francesa e italiana de julho, divulgados anteriormente, também ficaram aquém das previsões.

7- Os mercados asiáticos terminaram misturados nos preços de fechamento mais recentes. O Nikkei 225 ganhou 0,35%, enquanto o Shanghai Composite da China caiu 0,12%. As ações em Hong Kong permaneceram inalteradas com o Hang Seng em 26.683,68. Hoje, os mercados europeus estão mais baixos, com as ações na França em grande parte. O CAC 40 cai 0,40%, enquanto o FTSE 100 de Londres cai 0,16% e o DAX da Alemanha cai 0,06%. Wall Street está marcada para uma abertura em queda, depois que os dados bastante sombrios da Ásia e da Europa lembraram aos mercados que a desaceleração global ainda é muito importante.

8- A Câmara dos Deputados e o Senado pautaram para esta semana cinco projetos de lei com alta probabilidade de se tornarem leis nos próximos 180 dias, segundo projeção do Estudos Legislativos e Análise Política do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap/Ello)

9- As reformas e o risco de piora do cenário externo – A continuidade do processo de reformas permitirá à economia brasileira lidar com uma possível piora do cenário externo, afirmou o diretor de organização do sistema financeiro e resolução do Banco Central (BC), João Manoel Pinho de Mello .

10- Explosões foram relatadas em um armazém de armas pertencente à milícia das Forças de Mobilização Popular (PMF), apoiada pelo Irã, no oeste do Iraque, na cidade de Hit, na noite de segunda-feira, segundo o Sky News Arabia. Segundo Al Hadath, as explosões foram causadas por um ataque de uma aeronave não tripulada e feridos foram causados ​​pelo incidente. Um soldado iraquiano relatou ter ouvido o som de um drone antes da explosão, segundo Al Arabiya. A agência de notícias iraquiana Al Sumeria informou que houve um incêndio no armazém, causando a explosão de mísseis.

10A- As Forças de Defesa de Israel realizaram ataques e buscas na Cisjordânia na manhã desta terça-feira, segundo a agência de notícias al-Quds.

10B- Israel está em alerta com a suspeita de um foguete iraniano sendo lançado da Síria.

 10C- O ministro Amir Ohana afirmou na segunda-feira que os votos das pessoas foram contados nas eleições anteriores, apesar de serem expatriados ou mortos. Ohana disse: “Se houvesse câmeras, essas eleições poderiam ter sido evitadas”. O chefe de Yisrael Beitenu, ex-ministro da Defesa MK Avigdor Liberman, disse na segunda-feira que as pesquisas não podem ser observadas pelas “milícias de Netanyahu”. Yisrael Beitenu “sempre apoiou a supervisão eleitoral, incluindo [filmar o processo de votação]”, escreveu ele em um post no Facebook. “Mas apoiamos a supervisão igual em todos os lugares – entre árabes, entre judeus ultraortodoxos, em Gush Dan e no [Gush Etzion [bloco de assentamentos], [sob a condição de que] o monitoramento seja realizado por um ator estatal. Os MKs que se opuseram à “lei das câmeras” querem que a eleição seja “fraudulenta e roubada”, disse o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu na segunda-feira, logo após a proposta ter sido impedida de ir a uma votação no Knesset na segunda-feira. “Não há razão para quem realmente quer eleições limpas para se opor ao projeto de câmeras que evita fraudes nas eleições”, disse Netanyahu.

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply