AS MELHORES DO DIA 02/12 (SEM MEDO POLICIAIS E “EDUQUEM” A MOLECADA)

Bolsonaro curto e grosso(Amo isso): “Lamento a morte de inocentes” . E eu , seu humilde editor completa: se pai não educa em casa , a policia, a partir de agora vai educar nas ruas…doa a quem doer…

1- PIB do 3º trimestre continua em modesta retomada. Após crescer 0,4% no segundo trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) deve operar bem próximo deste número no terceiro trimestre. A mediana do mercado financeiro para o período é de alta de 0,2%. O IBGE divulga os números oficiais nesta terça-feira (03/12), em seu relatório das Contas Nacionais Trimestrais.
Na ocasião, o instituto irá divulgar ainda as revisões para o crescimento do PIB de 2017 e de 2018.
Segundo o Monitor do PIB da FGV, a economia deve avançar 0,1% em relação ao segundo trimestre, e crescer 0,9% na comparação anual. Do lado da demanda, a perspectiva para os investimentos e para o consumo são de expansão, bem como para a agropecuária e serviços, no lado da oferta.
A indústria deverá ser o único componente a operar no negativo, principalmente pelo fraco desempenho da indústria de transformação no período, que foi impactada, em parte, pela queda das exportações de automóveis para a Argentina.
O economista da Tendências Consultoria, Thiago Xavier, acrescenta que as perdas da indústria extrativa, em decorrência da tragédia de Brumadinho (MG), também impactaram os números do setor como um todo.
Por outro lado, a construção civil irá promover um respiro no dado da indústria. O setor tem se recuperado desde o segundo trimestre deste ano, quando conseguiu avançar 1,9% em relação ao primeiro trimestre.
Segundo Xavier, reformas e construção de novos imóveis são os movimentos que estão reaquecendo o setor. Porém, para a construção deslanchar, os grandes projetos de infraestrutura precisam começar a sair do papel.

2- FGTS e festas de final de ano ajudam indústria a reagir em outubro. Se no terceiro trimestre o setor industrial não animou, o mesmo não tende a ocorrer nos últimos meses do ano.A liberação do FGTS em um período de início das festas de final de ano deve levantar a indústria do mês de outubro. O setor deve crescer 1,18% no mês, em relação a igual período do ano passado. A Produção Industrial Mensal (PIM) será divulgada pelo IBGE nesta quarta-feira (04/12).
“Os recursos do FGTS têm, geralmente, três destinos: pagamento de dívidas, poupança ou consumo. Como estamos em um período de festas de final de ano, isso acaba sendo muito contaminado pelo consumo. Importante lembrar que, além da liberação do FGTS, as pessoas começarão a receber o seu décimo terceiro”, diz Xavier.
Neste cenário, as indústrias de bens de consumo não duráveis (como alimentos, bebidas) e de semiduráveis (vestuário, calçados) saem mais beneficiadas. Até mesmo bens de consumo duráveis, como eletrodomésticos e eletrônicos com menor valor agregado também podem ganhar mais dinamismo.
Xavier lembra que indicadores antecedentes já conseguem sinalizar uma melhora na indústria. A produção de automóveis, por exemplo, cresceu 9,6% em outubro em relação a igual mês do ano passado, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).
“A produção de automóveis é 10,1% do PIM. Historicamente no Brasil, há uma correlação entre o desempenho da fabricação de automóveis e o dado geral da indústria, levantado pelo IBGE”, diz Xavier.
Já o Fluxo Pedagiado de Veículos Pesados, medido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR), cresceu 5,8% em outubro, na comparação anual, indicando que há mais circulação de mercadorias nas ruas.
A expedição de papel ondulado (caixa de papelão), por sua vez, cresceu 2,6% em outubro, contra expansão de 1,4% em setembro.

3- Inflação de novembro acelera com reajuste de loterias e energia. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de novembro deve acelerar para cerca de 0,50%, contra alta de 0,10% no mês de outubro. O IBGE divulga o índice nesta sexta-feira (06/12).
André Braz, que é coordenador dos índices de inflação da FGV IBRE, diz que boa parte da alta é explicada pelos reajustes dos jogos de Loterias, a partir do dia 11 de novembro.
“Em média, esses preços subiram mais de 30%”, diz Braz. “O grupo de Loterias não pesa tanto no IPCA, mas a magnitude do aumento foi significativa”, destaca Braz.
Outros fatores que aceleram a inflação de outubro são:Uso da bandeira tarifária vermelha de energia, o que aumenta as contas de luz;Elevação dos preços da gasolina por conta da alta de 4% nas refinarias. Segundo Braz, esse avanço deverá chegar na bomba em torno de 1,5% a 2,0%.Alta dos preços da carne bovina: com a gripe suína na China, o Brasil elevou as suas exportações de carne para o país asiático, desabastecendo o mercado doméstico. Com a aproximação das festas de final de ano, a demanda por carnes aumenta, elevando os preços.
Contudo, ao final de 2019, Braz indica que o IPCA fechará próximo de 3,6%, bem longe da meta de 4,25% do Banco Central (BC). Os efeitos de alta no final do ano são movimentos muito pontuais e, por serem concentrados em grande parte em preços administrados, não indicam um aumento generalizado de preços ao consumidor.

4- Os mercados asiáticos terminaram misturados nos preços de fechamento mais recentes. O Hang Seng ganhou 0,37% e o Shanghai Composite subiu 0,13%. O Nikkei 225 perdeu 0,49%
Hoje, os mercados europeus estão em geral mais baixos, com as ações na Alemanha em grande parte. O DAX caiu 1,42%, enquanto o CAC 40 da França caiu 1,36% e o FTSE 100 de Londres caiu 0,47%.
 Wall Street ficou confuso na segunda-feira, quando o presidente Donald Trump disse que reimporia tarifas de aço e alumínio do Brasil e da Argentina e renovou seus ataques ao Federal Reserve, pedindo que cortasse novamente as taxas de juros para enfraquecer o dólar.
O tuíte inesperado de Trump foi um lembrete severo de que o governo permanece apegado ao uso de tarifas, uma tática que muitas empresas citaram como razão da queda de lucros e margens mais estreitas na última temporada de ganhos.
A explosão ofuscou dados econômicos geralmente positivos de todo o mundo anteriormente. Os índices de gerente de compras da IHS Markit saíram acima do esperado na maioria dos países, principalmente nos EUA, onde o índice subiu para 52,6, de 52,2 em outubro. O índice de fabricação ISM, no entanto, caiu de 48,3 para 48,1, esperanças decepcionantes de melhoria.
“A preocupação aqui é que tipo de resposta de retaliação esses países podem ter, muito menos uma espécie de re-escalada dessas guerras tarifárias no meio da tentativa de resolver uma”, disse Mark Luschini, estrategista-chefe de investimentos da Janney Montgomery Scott, na Filadélfia.

5- A semana começa em tom positivo para os ativos de risco, que sobem na esteira de leituras dos índices de compras de gerentes na Ásia e na Europa acima do consenso. As notícias, turbinadas pela divulgação, no sábado, de dados da China avançando inesperadamente em novembro, trazem uma perspectiva mais estável sobre a economia global. A expectativa hoje está no PMI dos Estados Unidos, que pode corroborar a visão de que a atividade estabilizou. No Brasil, se mantido este sentimento, o mercado deve melhorar. Bolsas e contratos futuros mundo afora ignoram a retaliação chinesa aos EUA por Hong Kong; mesmo assim, as chances de atingir um acordo parcial entre os dois países sofrem, com o prazo para mais sobretaxas, em 15 de dezembro, se aproximando. A semana promete: dados do PIB e de inflação no Brasil; Investor Day da Vale, hoje, e da Petrobras, ao longo da semana; balanço da Oi; início do silêncio dos bancos centrais americano e brasileiro, por conta das decisões da semana que vem.

6- Os investidores tomam risco na manhã desta segunda-feira, depois de que as leituras dos índices PMI de manufatura da China e da Zona do Euro vieram acima do esperado. O Índice Stoxx Europe 600 avança, liderado por ações de mineradoras e de empresas de energia, após o PMI da região mostrar seu maior avanço em três meses, apesar da perda de empregos. Os contratos futuros das bolsas nos EUA sobem, com otimismo de que os dados da China se traduzam em melhores métricas de manufatura nos EUA. A bolsa de Tóquio subiu com o recuo de iene ante o dólar – sinal de menor aversão ao risco. O petróleo avançou enquanto o ouro caiu. Com a desculpa de que as desvalorizações das moedas argentina e brasileira estão afetando o produtor agrícola americano, o presidente americano Donald Trump decidiu hoje retomar as sobretaxas nos produtos de aço desses países. A ação de hoje, anunciada no Twitter por volta das 08h00, deve servir como um lembrete: mesmo se Trump fechar uma trégua com a China, há um grupo próximo dele no governo que quer buscar mais frentes para travar guerras comerciais

7- O BNDES traçou um cronograma inicial das próximas quatro ofertas de ações que fará em 2020, como parte de seu programa de desinvestimento, apurou o Valor. O plano é vender a segunda tranche de ações da JBS, assim como parte da fatia que detém na Petrobras, e a totalidade da participação que tem na Copel e na Tupy. Isso valeria quase R$31 bilhões. Como a primeira tranche de oferta de JBS, inicialmente planejada para dezembro, pode ser postergada para janeiro, o montante de ações a serem vendidas por sua subsidiária BNDESPar no próximo ano deve subir a R$ 38,8 bilhões. As ações das quatro empresas devem reagir à notícia. A Marisa Lojas começou a se movimentar para realizar uma oferta de até R$400 milhões e obteve o apoio de dois fundos de investimentos para ancorar a transação, aportando aproximadamente R$160 milhões, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo.

8- Mercados Ibovespa fechou o mês aos 108.223,28 pontos, alta de 0,95%. Mas o dólar foi a grande estrela do mês e subiu 5,49%, para R$ 4,2407.  Veja aqui o ranking com as melhores e piores aplicações financeiras em novembro e no acumulado do ano. Na Ásia, as bolsas não conseguiram sustentar ganhos, mesmo após dados positivos da atividade chinesa. Já em Nova York, os índices futuros operam no positivo. Veja o que esperar da bolsa e dólar hoje e consulte aqui um panorama completo do que vai pautar os mercados na semana (exclusivo para leitores Premium).

9- Salim Mattar, o secretário responsável pela privatização de estatais no governo Bolsonaro, falou com exclusividade ao Seu Dinheiro. Ele explica os motivos para os atrasos no cronograma e dá a lista das próximas estatais a serem privatizadas. Leia a entrevista completa.

10- Paulo Guedes disse que Bolsonaro apoia a reforma administrativa, mas admitiu que há um entrave ao projeto pelo “timing político”. Essa e outras afirmações foram feitas em entrevista ao jornal O Globo no fim de semana. 

11-  Novas informações sobre o acordo entre China e Estados Unidos ganharam a imprensa internacional no fim de semana. A China espera a redução de tarifas impostas pelos EUA aos seus produtos como passo essencial para a continuidade do acordo. Como contrapartida, o país deverá se comprometer em comprar uma quantidade maior de produtos agrícolas americanos.

 12- O balanço preliminar da Black Friday traz gastos maiores que em 2018, mas um tíquete médio levemente menor. Um levantamento do Ebit/Nielsen estima vendas de R$ 3,2 bilhões e um gasto médio de R$ 602 por consumidor. 

13- O banco BMG fechou a venda de 30% do seu braço de seguros, a BMG Seguros, para a Generali. O negócio pode mexer comas ações da empresa na bolsa. (Do 9 ao 13 direto da newsletter@seudinheiro.com da Marina Gazzoni)

14- O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que não vê como retaliação a decisão dos Estados Unidos de retomar tarifas sobre importações de aço e alumínio do Brasil e disse que, se for necessário, vai ligar para o presidente norte-americano, Donald Trump, e espera ser compreendido por ele.
“Vou conversar com o (ministro da Economia) Paulo Guedes hoje ainda. Se for o caso, vou ligar para o presidente Donald Trump”, afirmou Bolsonaro em entrevista à rádio Itatiaia.
“Não vejo isso como retaliação. Vou conversar com ele para ver se não nos penaliza com a sobretaxa no preço do alumínio. A alegação dele, no Twitter dele, é a questão das commodities, a nossa economia basicamente vem das commodities, é o que nós temos. Espero que tenha o entendimento dele, que não nos penalize no tocante a isso, e tenho quase certeza de que ele vai nos atender”, acrescentou.
Mais cedo, Bolsonaro já havia dito que poderia conversar com o presidente dos Estados Unidos a respeito da decisão anunciada pelo líder norte-americano de que vai retomar tarifas sobre importações de metais do Brasil.

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply