OURO, PETRÓLEO E DÓLAR 03/12 (BRASIL AVISA TRUMP: CAMBIO É FLUTUANTE)

O ouro foi negociado marginalmente mais baixo na manhã de terça-feira na Ásia, pairando em torno da faixa de US $ 1.468, enquanto os EUA e a China ainda estão em negociações por “acordo ou não acordo”.
Conversas sobre um possível acordo da “primeira fase” entre as duas maiores economias do mundo dominaram o mercado nesta manhã, pesando sobre o metal precioso que é visto como um ativo de refúgio.
O acordo comercial ainda era possível até o final do ano e a primeira fase do acordo estava sendo posta em papel, de acordo com Kellyanne Conway, consultora sênior do presidente dos EUA, Donald Trump.
“Há uma chance melhor do que 50 a 50 de conseguirmos um acordo de ‘fase um, magro’, principalmente porque ambos os presidentes, Trump e Xi, precisam disso por razões políticas domésticas”, Stephen Roach, professor do Instituto Jackson para Universidade de Yale, Assuntos Globais, disse à CNBC.
Os preços do ouro subiram no início desta manhã com a notícia de que o presidente dos EUA, Donald Trump, renovou as tarifas de aço e alumínio no Brasil e na Argentina. A medida reacendeu o medo de disputas comerciais globais e dificultou o apetite ao risco.
As perspectivas de um acordo comercial também não são claras. Trump disse na segunda-feira que a assinatura na semana passada de duas leis nos EUA que apóiam manifestantes em Hong Kong não facilitaria as negociações, mas que a China ainda quer um acordo.

O petróleo manteve seus ganhos na terça-feira, com a Arábia Saudita pressionando por planos ampliados de corte de oferta, mesmo com as ações caindo pela Ásia após o anúncio de novas tarifas pelo presidente dos EUA, Donald Trump.
A Reuters citou duas fontes familiarizadas com o assunto, que disseram que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus aliados estão discutindo um plano para aumentar o fornecimento existente de 1,2 milhão de barris por dia (bpd) cortado em 400.000 bpd e estendê-lo até junho .
As fontes também disseram que a Arábia Saudita, líder de fato da OPEP, está levando o plano à frente da listagem da Saudi Aramco, estatal.
O mercado está prestando muita atenção às reuniões da OPEP nesta semana, onde os ministros se reunirão em Viena nesta quinta-feira e o grupo mais amplo da OPEP + se reunirá na sexta-feira.
O governo chinês em breve publicará uma lista de “entidades não confiáveis” que podem levar a sanções contra empresas norte-americanas, de acordo com a mídia estatal do país. O mercado está ficando cada vez mais preocupado com o fato de um acordo comercial preliminar não acontecer tão cedo, já que as disputas sobre direitos humanos em Hong Kong e Xinjiang continuam aumentando as tensões entre os dois países. Um consultor sênior de Trump disse na segunda-feira que um acordo entre a China e os EUA ainda é possível antes do final do ano, mas as negociações estão se arrastando há semanas.

O dólar foi negociado próximo ao mínimo de uma semana em relação ao iene na terça-feira e próximo ao menor em quase duas semanas em relação ao euro, devido à preocupação com os fracos dados de fabricação nos EUA e sinais de novas frentes na guerra comercial dos EUA.
O sentimento também foi afetado depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou tarifas sobre importações de metais do Brasil e da Argentina.
Dados econômicos recentes dos EUA mostraram sinais de melhora; portanto, um quarto mês consecutivo de atividade manufatureira reduzida, bem como um declínio inesperado nos gastos com construção, prejudicaram a esperança de que a maior economia do mundo tivesse se estabilizado.
Os investidores também estão preocupados com a forma como os Estados Unidos reduzirão uma guerra comercial de 16 meses com a China, enquanto mais tarifas sobre produtos de outros países representariam um risco adicional para as perspectivas econômicas globais.
“Os dados fracos forçaram muitas pessoas a desistir de dólares e reduzir as perdas”, disse o estrategista de câmbio da Daiwa Securities, Yukio Ishizuki, em Tóquio.
“Isso pode ter continuado, mas não há razão para perseguir a alta do dólar daqui. O atrito comercial continua sendo uma ameaça persistente, o que não é bom para o sentimento do mercado”.
O dólar foi negociado a 109,00 ienes na terça-feira na Ásia, próximo ao seu menor nível em uma semana. Foi cotado a US $ 1,1076 em relação ao euro (EUR = EBS), depois de cair 0,56% na segunda-feira, seu maior declínio em relação à moeda única desde 17 de setembro.

No Brasil , o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, aproveitou evento de final de ano da Febraban nesta segunda-feira para reforçar mensagem de que a autoridade monetária não atua no mercado de câmbio visando patamares específicos para o dólar. “O câmbio é flutuante e o Banco Central só vai atuar quando entender que é necessária alguma intervenção”, afirmou Campos Neto, acrescentando que a alta recente do dólar foi influenciada pela frustração de investidores com os resultados de leilões de petróleo. As declarações de Campos Neto vieram poucas horas depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar que vai retomar tarifas sobre as importações norte-americanas de aço e alumínio do Brasil e da Argentina pelo fato de os dois países estarem promovendo “uma forte desvalorização de suas moedas”.

XAU/USD______1469,60______EUR/USD_______1,10732

XAG/USD_______17,017______GBP/USD___ ____1,29930

USOIL__________56,031______USD/BRL_______4,21690

UKOIL______ ___60,869______USD/ILS_ _______3,48215

COBRE________2.63052______USD/CHF___ ____0,98926

Bons Negócios !!__________________Yochanan Pinchas

Be the first to comment

Leave a Reply